Weight loss diets advertised in non-scientific publications

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2004-10-01
Autores
Amancio, Olga Maria Silverio [UNIFESP]
Chaud, Daniela Maria Alves [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Weight-loss diets advertised in mainstream non-scientific publications and targeting the adult female public were evaluated in relation to total energy value, macronutrients, calcium, iron, vitamins A and E, and cholesterol content, as well as the presence of information regarding the duration of diets, fluid intake, physical activity, and maintenance diets. Two publications were selected, considering periodicity, circulation, readership, and years in publication. The Virtual Nutri software was used to evaluate the nutrients of 112 diets. Micronutrient content was compared to the Dietary Reference Intakes. All diets were inadequate in at least one of the evaluated items. Less than 25.0% of the diets presented adequate macronutrient distribution. Calcium, iron, and vitamin E were also predominantly inadequate (85.7, 97.3, and 91.9%, respectively). Non-scientific publications should not be allowed to advertise weight-loss diets. In addition, their chemical composition is inadequate and they are not accompanied by important instructions for such therapy.
Diversas dietas para redução de peso, anunciadas em periódicos não-científicos de grande circulação, foram avaliadas em relação ao teor energético e de macronutrientes, cálcio, ferro, vitaminas A e E, colesterol e presença de informações sobre a duração da dieta, ingestão de fluidos, atividade física e dieta de manutenção. Duas publicações foram selecionadas em função da periodicidade, tiragem, número de leitores e anos de publicação. Foi utilizado o programa Virtual Nutri para medir os nutrientes de 112 dietas. Os teores de micronutrientes foram comparados com as Dietary Reference Intakes. Todas as dietas eram inadequadas em relação a uma ou mais substâncias avaliadas. Menos de 25,0% das dietas apresentaram distribuição adequada de macronutrientes. Predominavam os níveis inadequados de cálcio, ferro e vitamina E (85,7, 97,3, e 91,9%, respectivamente). Não deveria ser permitido que publicações não-científicas anunciassem dietas para perda de peso que não apresentassem também uma composição química adequada.
Descrição
Citação
Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 20, n. 5, p. 1219-1222, 2004.