Show simple item record

dc.contributor.advisorCasarini, Dulce Elena [UNIFESP]
dc.contributor.authorRonchi, Fernanda Aparecida [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:44:44Z
dc.date.available2015-12-06T23:44:44Z
dc.date.issued2006
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2006. 97 p.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21508
dc.description.abstractO Sistema Renina Angiotensina Aldosterona (SRAA) está envolvido na homeostase da pressão sangüínea. Descontando a evidência da intolerância à glicose no hiperaldosteronismo, na hipertensão essencial, as inter-relações entre o SRAA e a tolerância à glicose e sensibilidade à insulina não tem sido exploradas sistematicamente. Estudos têm apontado para uma interessante possibilidade de que a inibição da Enzima Conversora de Angiotensina I (ECA) pode melhorar a resistência à insulina na hipertensão essencial. A ECA participa da regulação da pressão sangüínea, inativando um peptídeo biologicamente ativo vasodilatador, a Bradicinina, e converte a Angiotensina I (Ang I) em Angiotensina 11 (Ang 11), um potente peptídeo vasopressor, que exerce várias funções fisiológicas e fisiopatológicas, e ainda é capaz de hidrolisar diferentes substratos como o hormônio LH-RH, a substância P e a Angiotensina 1-7 (Ang 1-7) . Recentemente, a Ang 1-7 tem apresentado um importante papel no controle da função renal, contrabalançando as ações da Ang 11. Em estudos anteriores de nosso laboratório, foram detectadas em urina de ratos Wistar (W) as isoformas de 190 e 65 kDa, perfil semelhante ao descrito para os indivíduos normotensos. Na urina de ratos espontaneamente hipertensos (SHR), foram identificadas as isoformas de 80 e 65 kDa, fragmentos N-terminais da ECA, repetindo o perfil encontrado em indivíduos hipertensos leves. Neste estudo, verificamos as possíveis alterações na expressão protéica e/ou atividade enzimática das isoformas da Enzima Conversora de Angiotensina I (ECA), no modelo in vivo de Diabetes melito. Além disso, analisamos o efeito renoprotetor de um bloqueador de AT1 (Losartan) e um inibidor de ECA (enalapril) nesse modelo e o reflexo sobre os níveis das angiotensinas. Para realizarmos nossos objetivos, utilizamos estreptozotocina para induzir os animais Wistar e SHR ao Diabetes melito, sendo a droga administrada na veia caudal do animal. Os animais SHR tratados receberam uma dose de 50mg/kg/dia de losartan e 20mg/kg/dia de enalapril. As drogas foram administrada na água de beber, após a indução do diabetes, durante 30 dias...(au).pt
dc.format.extent97 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectPeptidil dipeptidase Apt
dc.subjectDiabetes mellituspt
dc.subjectAngiotensinaspt
dc.subjectSistema renina-angiotensinapt
dc.titleAssociação das isoformas da enzima conversora de angiotensina I(ECA) a disfunções dos sistemas renal e pancreático no diabetes melito em ratos Wistar e espontaneamente hipertensos (SHR)pt
dc.title.alternativeAssociation of somatic and N-domain angiotensin converting enzymes (ACEs) from Wistar and spontaneously hypertensive rats(SHR) tissues with renal and pancreaic dysfunction in diabetes mellitusen
dc.typeTese de doutorado
dc.identifier.fileepm-20070402113927GARCIA.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record