Núcleo paratrigeminal humano: uma análise comparativa, morfológica e neuroanatômica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006
Autores
Silva, Raquel Rangel Ferraz da [UNIFESP]
Orientadores
Smith, Ricardo Luiz [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Antes conhecido como um dos cinco componentes do sistema intersticial do trato trigeminal espinhal (sp5), no bulbo dorsolateral, o núcleo paratrigeminal (Pa5) apresenta-se como única estrutura que se extende inserida nas fibras do sp5. No bulbo de ratos, o Pa5 é conhecido por participar de processos somatossensoriais; sendo naturalmente importante conhecer a morfologia deste núcleo em humanos afim de poder compará-la com a morfologia do Pa5 em ratos e inferir funções em ambas as espécies. Análise neuroquímica do Pa5 humano sugere semelhança à do Pa5 de ratos pela possível presença de receptores de substância P. Experimentos em animais mostraram que o Pa5 possui conexões com estruturas bulbares como os núcleos NTS, RVL, LRt e Amb, associadas à termorregulação e processos cardiorespiratórios. Resultados com traçadores neuronais lipofílicos no Pa5 humano parecem reproduzir em grande parte estes achados no Pa5 de ratos. Análise em microscopia de luz revela a morfologia difusa e pálida da neurópila encontrada no núcleo de ambas as espécies. Cortes transversais do Pa5 desenhados em câmera lúcida apresentam um aspecto distinto de hemicilindro côncavo, formado pelas porções dorsal, ventral e medial do núcleo. Análises ultraestruturais mostraram heterogeneidade sináptica composta por vesículas eletrondensas e eletronlúcidas. Portanto, a proposta do entendimento morfológico do Pa5 humano em comparação com o Pa5 de ratos é plausível para determinar a relação destas funções em humanos. O núcleo em humanos, é caracterizado como uma estrutura difusa e ramificada possuindo em média 7000:t120!-lm de comprimento, contendo aproximadamente 1400:t154 neurônios multipolares de tamanhos pequeno a médio (120-180 !-1m2). Os somas neuronais estão distribuídos ao longo do eixo caudal-rostral mas agrupados em 2 grandes e 3 pequenas curvas de distribuição interespaçados por neurópila. Os resultados mostram similaridades entre o Pa5 humano e de ratos e sugerem alta conservação associada aos controles fisiológicos e funções homeostáticas.
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2006. 186 p.
Coleções