Vitamina e sua relação com o hiperparatireoidismo secundário na doença renal cronica pre-dialítica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006
Autores
Kubo, Andrea Higa [UNIFESP]
Orientadores
Carvalho, Aluizio Barbosa de [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: A vitamina D desempenha um importante papel na homeostase do cálcio e fósforo e, intervenções específicas são recomendadas nos vários estágios da doença renal crônica, a fim de se evitar ou postergar o aparecimento do hiperparatireoidismo secundário. Além da 1,25¬ dihidroxivitamina D a forma mais ativa da vitamina D; a 25-hidroxivitamina D seu precursor hepático, também tem tido destaque como participante dos mecanismos fisiopatológicos no desenvolvimento do hiperparatireoidismo secundário. O objetivo desse estudo foi avaliar a distribuição dos níveis de 25¬ hidroxivitamina D nos diferentes estágios da doença renal crônica e o possível papel dessa vitamina no metabolismo mineral de pacientes na fase pré¬ dialítica. Material e Métodos: Através de corte transversal foram estudados 51 pacientes adultos, portadores de doença renal crônica na fase pré-dialítica. Para a análise, os pacientes foram distribuídos nos vários estágios da doença renal crônica, de acordo com a classificação do KDOQ/I, o que compreendeu os segundo, terceiro e quarto estágios. Foram estudados os seguintes parâmetros laboratoriais: albumina, bicarbonato, cálcio iônico, fósforo, fosfatase alcalina total, PTH-intacto, 25-hidroxivitamina D, 1,25-dihidroxivitamina D, clearance de creatinina e proteinúria de 24hs. Resultados: Dos 51 pacientes, 10 encontravam-se no estágio 2, 25 no estágio 3 e 16 no estágio 4 da doença renal crônica. De acordo com o KIDOQI, nenhum paciente tinha deficiência severa de 25-hidroxivitamina D « 5 ng/mL) e 28 pacientes (55 por cento) apresentavam níveis dentro dos valores-alvo (> 30 ng/mL)Cerca de 62 por cento dos pacientes tinham PTH intacto acima do recomendado para seu estágio de doença renal. Não foram observadas quaisquer correlações entre a 1,25-dihidroxivitamina D e outros parâmetros bioquímicos ou hormonais. Uma análise de regressão linear múltipla revelou o clearance de creatinina, o fósforo e a 25-hidroxivitamina D como os determinantes independentes do PTH. Conclusão: Este estudo encontrou uma alta prevalência de hiperparatireoidismo secundário em pacientes com doença renal crônica não¬ dialítica, com níveis relativamente adequados de 25-hidroxivitamina D. Novos estudos serão necessários para determinar os reais valores-alvo desta vitamina na doença renal crônica em sua fase pré-dialitíca
Descrição
Citação
Vitamina D e sua relação com o hiperparatireoidismo secundário na doença renal cronica pre-dialítica. 2006. 79 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2006.