Efeito adjuvante da Propionibacterium acnes e de seu componente polissacarídico solúvel purificado sobre a migração e atividade citotóxica de células do exsudato peritoneal de camundongos C57BI/6

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006
Autores
Ananias, Renata Zeigler [UNIFESP]
Orientadores
Longo-Maugéri, Ieda Maria [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Neste trabalho. analisamos o efeito modulador da Propionibacterium acnes (P. acnes) morta pelo calor e de seu componente polissacarídico solúvel purificado (PS) sobre células do exsudato peritoneal de camundongos C57BI/6 tratados intraperitonealmente. Tanto a bactéria como o PS aumentaram o número de macrófagos, células dendríticas e linfócitos NKT para a cavidade peritoneal dos animais. A P. acnes aumentou principalmente o número de linfócitos NKT CD3+CD4-CDS-, e em menor grau a subpopulação CD3+CDS+, sendo o componente polissacarídico responsável pelo aumento desta última subpopulação. Células dendríticas do exsudato peritoneal de animais tratados com P. acnes, sem receber nenhum estímulo in vitro diferenciarem-se mais precocemente em células dendríticas maduras. Analisamos também o efeito da P. acnes ou de seu componente polissacarídico purificado sobre a função citotóxica in vitro de macrófagos e linfócitos NKT. Macrófagos obtidos de animais tratados tanto com a bactéria, como com seu componente polissacarídico foram citotóxicos para células de melanoma (B16F10) em co-cultura. Esta atividade foi mediada principalmente pela produção de NO, uma vez que a ausência deste fator praticamente aboliu tal função. Além do NO, a citotoxicidade mediada por macrófagos obtidos dos animais tratados somente com a bactéria também tem a participação de TNF-a e IFN-y. Somente os linfócitos NKT obtidos dos animais tratados com P. acnes foram citotóxicos para células de melanoma murino, após serem estimulados in vitro com IL-12, sendo esta função independente de IFN-y. ° estímulo intraperitoneal com P. acnes, dependente principalmente do seu componente polissacarídico, modula a função de células da resposta imune inata responsáveis por induzir uma resposta imune adaptativa eficaz e protetora.
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2006. 127 p.