Comunicacao em Saúde: fatores que interferem no vinculo e na comunicacao na relacao medico-paciente

Show simple item record

dc.contributor.advisor Yazigi, Latife [UNIFESP]
dc.contributor.author De Marco, Mario Alfredo [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:05:20Z
dc.date.available 2015-12-06T23:05:20Z
dc.date.issued 2005
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 2005. 175 p.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20437
dc.description.abstract Introdução: A comunicação e suas perturbações têm recebido crescente atenção no campo da formação e da atenção em saúde, em função da consolidação da percepção de suas importantes repercussões no processo terapêutico. Objetivo: A partir de uma discussão crítica do conceito "pacientes difíceis de ajudar" identificar fatores que perturbam a comunicação e o vínculo na relação médico-paciente, refletindo-se na forma de "dificuldade para ajudar". Método: Numa amostra randômica de 74 leitos foram aplicados para o paciente o Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), Confusion Assessment Mefhod (CAM) e Kamofsky Performance Scale; para os profissionais o questionário de dificuldade para ajudar o paciente (DTH), o HADS e o CAM (ambos sobre o paciente). O estudo de associação entre as dificuldades do médico e as demais variáveis foi feito utilizando o teste t quando numéricas e o teste do qui-quadrado quando categóricas. Para identificarmos que fatores predizem uma maior dificuldade do médico para ajudar o paciente, desenvolvemos um modelo de regressão logística cuja variável dependente foi a categoria dificuldade para ajudar, e as variáveis de controle foram: grau de dependência física pela doença orgânica, procedência do médico, todas as questões do DTH, sintomas psicopatológicos dos pacientes, sintomas psicopatológicos dos pacientes percebidos pelo médico, taxa de acerto/erro diagnóstico do médico. Resultados: Dificuldade do médico para ajudar o paciente apresentou índice de 38,3 por cento. Em relação às características do paciente a única característica estatisticamente significante (p<0,05), para a alta dificuldade de ajudar, foi frente aos pacientes que apresentam grandes limitações físicas. Em relação às percepções do médico, apresentaram associação estatisticamente significante (p<0,05) com alta dificuldade as seguintes percepções: os aspectos psicossociais terem afetado a doença do paciente (88,9 por cento), ter baixa adesão às recomendações terapêuticas (27,8 por cento) e considerar presença de sintomas depressivos (61,1 por cento) e ansiosos (72,2 por cento) no paciente. A análise multivariada da dificuldade de ajudar o paciente, tendo como variáveis independentes aquelas que apresentaram associação com a dificuldade (o médico proceder de outra cidade que não São Paulo, o médico considerar que os fatores psicossociais afetaram o adoecer, que é baixa a adesão do paciente ao tratamento, que o paciente tem sintomas depressivos e ansiosos) mostrou que o médico considerar que o paciente tem sintomas ansiosos aumentou em 19 vezes a chance de ele ter dificuldade para ajudar este paciente, em relação ao médico não considerar que os sintomas estão presentes (p<0,05) e que, o médico ser de fora da cidade de São Paulo aumentou em 15 vezes a chance de ele ter dificuldade para ajudar este paciente, em relação ao médico ser da cidade (p<0,05). Conclusões: Os resultados obtidos no estudo revelam que na amostra abordada não são primordialmente as características do paciente que produzem a condição de dificuldade para ajudar mas, algumas percepções e características dos profissionais, apontando para a importância de uma atenção ao preparo e aos cuidados com os profissionais. Por outro lado, estes resultados reafirmam a vantagem de não se ater a categorizações como "paciente difícil" mas de situar as observações no fenômeno (dificuldade para ajudar), na relação e no vínculo, buscando pesquisar os fatores e as características que promovem as dificuldades pt
dc.format.extent 175 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Relações Médico-Paciente pt
dc.subject Barreiras de Comunicação pt
dc.subject Educação Médica pt
dc.subject Educação de Pacientes como Assunto pt
dc.title Comunicacao em Saúde: fatores que interferem no vinculo e na comunicacao na relacao medico-paciente pt
dc.title.alternative Comunication in health care: factors that interfere in linking and communication in the doctor-patient relashioship en
dc.type Tese de doutorado
dc.identifier.file epm-20050308112723GARCIA.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account