Caracterização epidemiológica e microbiológica dos episódios de candidemia por Candida tropicalis

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2003
Autores
Cunha, Anna Karenine Brauna [UNIFESP]
Orientadores
Colombo, Arnaldo Lopes [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: C. tropicalis responde por um numero significativo de infeccoes fungicas sistemicas, sobretudo em pacientes imunocomprometidos. Esta associada a alta mortalidade. Existem poucas informacoes disponiveis sobre a epidemiologia e perfil de sensibilidade aos antifungicos deste patogeno. Objetivos: 1) Avaliar as caracteristicas clinicas e epidemiologicas dos pacientes com candidemia por C. tropicalis, comparando com as caracteristicas de candidemia por C. albicans. 2) Caracterizar o perfil de sensibilidade aos antifunficos das amostras e avaliar a possivel disseminacao clonal de casos de infeccao por C. tropicalis em hospitais universitarios. Material e Metodos: Trata-se de um estudo de coorte realizado no Hospitais São Paulo e do Servidor Publico Estadual de janeiro de 1995 a julho de 2002. Foram incluidos todos os pacientes que apresentaram pelo menos uma hemocultura positiva para C. albicans e C. tropicalis. Os pacientes incluidos foram avaliados em relacao as caracteristicas demograficas, presenca de doencas de base, unidade de internacao, fatores de risco e avaliacao da evolucao clinica. As caracteristicas clinicas e epidemiologicas das candidemias por C. tropicafis e C. albicans foram identificadas por analise univariada. Todos os isolados foram submetidos a avaliacao do perfil de sensibilidade a anfotericina B, fluconazol, itraconazol e 5 - fluorocitosina (microcultivo em caldo NCCLS). A tecnica de RAPD (Randomly Amplified Polymorphic DNA) foi aplicada na avaliacao genotipica dos isolados de C. tropicalis. Resultados: Foram identificados 299 episodios de candidemia, sendo 123 de C. albicans e 83 de C. tropicalis. Nos episodios de candidemia por C. albicans, 61,8 por cento eram do sexo masculino com mediana de idade de 25 anos. Nos episodios de C. tropicalis, 62,7 por cento eram do sexo masculino com mediana de idade de 50 anos. C. albicans foi mais frequente em UTI neonatal (10,6°/a; p=0,009) e C. tropicafis em UTI adulto (34,9 por cento, p=0,05). C. tropicafis predominou em pacientes com cancer (p=0,02) e C. albicans em prematuros (p=0,0007). Em relacao ao tratamento, 86 episodios de C. albicans e 49 de C. tropicalis receberam drogas antifungicas. A mortalidade foi maior em pacientes com C. tropicalis (71,1 por cento contra 56,1 por cento; p=0,03). Nao foi detectada resistencia a anfotericina B nos dois grupos estudados. Entretanto, 8 por cento dos isolados de C. tropicalis eram resistentes aos azolicos na leitura de 24 horas 24 por cento na leitura de 48 horas. Observou-se padroes genotipicos distintos nos isolados de C. tropicalis avaliados. Conclusao: Candidemia por C. tropicalis ocorre predominantemente em pacientes com cancer, idade avancada, apresenta menor susceptibilidade a azolicos e maior mortalidade quando comparada a fungemia por C. albicans. A variabilidade genetica dos isolados sugere a aquisicao endogena como principal via de infeccao
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2003. 103 p.