Show simple item record

dc.contributor.advisorBruschini, Homero [UNIFESP]
dc.contributor.authorAraujo Filho, Julio Resplande de [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:04:09Z
dc.date.available2015-12-06T23:04:09Z
dc.date.issued2003
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2003. 110 p.
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19634
dc.description.abstractCom o objetivo de contribuir para o entendimento da fisiopatologia d incontinencia urinaria, realizamos estudo experimental em modelo animal par investigar quais os efeitos da gravidez e das diferentes formas de parto n mecanismo de incontinencia urinaria de ratas. Trinta e seis ratas gravidas da linhagem Sprague-Dawley, de idade e peso semelhantes e com data de fertilizacao e provavel data parto conhecidas foram divididas em tres grupos: grupo I (n=15): animais submetidos a parto vaginal espontaneo; grupo II (n=11): animais submetidos a parto cesariana e grupo III (n=10): animais que tiveram parto induzido por administracao de oxitocina. Imediatamente apos o parto, os animais foram submetidos a avaliacao urodinamica,incluindo o perfil pressorico uretral. Os dados urodinamicos usados para comparacao foram: capacidade e complacencia vesical, volume urinado, pressao vesical inicial, efiCiência de esvaziamento, pressao vesical no inicio da contracao detrusora, pressao vesical maxima e pressao de miccao. Os dados do perfil foram: comprimento funcional uretral (CFU) e pressao maxima de fechamento uretral(PMFU). Os animais foram submetidos a eutanasia e a uretra, vagina e tecido periuretral foram retirados para estudo histologico(tricromio de Masson) e imunohistoquimico com marcadores neuronais para musculatura lisa e estriada(alfa-actina e troponina T), inervacao adrenergica (tyrosine hydroxylase), nao adrenergica/nao colinergica (NADPH) e sensitiva (CGRP). Oito ratas gravidas e onze virgens foram submetidas aos mesmos procedimentos e utilizados com controle. A gravidez proporcionou diminuicao da pressao vesical no inicio da concentracao detrusora, mas nao influenciou os dados do perfil pressorico uretral. O parto vaginal espontaneo levou a diminuicao da pressao de miccao e da pressao vesical maxima quando comparada a cesariana. O parto induzido com oxitocina promoveu um aumento imediato da pressao maxima de fechamento uretral. Nao houve diferenca entre o perfil pressorico uretral de ratas submetidas a parto vaginal espontaneo e a cesariana. O estudo imunohistoquimico nao revelou qualquer influencia da gravidez ou das diferentes formas de parto nos marcadores de musculo liso e estriado uretral, bem como na expressao dos diversos marcadores neuronais utilizadospt
dc.format.extent110 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectUrodinâmicapt
dc.subjectIncontinência urináriapt
dc.subjectImuno-histoquímicapt
dc.subjectGravidezpt
dc.titleAvaliação urodinâmica e imunohistoquímica uretral imediatamente após diferentes formas de parto em rataspt
dc.title.alternativeUrodynamic and urethral immunohistochemical evaluation immediately after different routes of delivery in faemale ratsen
dc.typeTese de doutorado
dc.identifier.fileepm-11297.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramMedicina (Urologia)


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record