Show simple item record

dc.contributor.authorCorreia, Ademir Lopes [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:03:17Z
dc.date.available2015-12-06T23:03:17Z
dc.date.issued2004
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2004. 76 p.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18906
dc.description.abstractDiversos fatores ambientais ajudam a piorar a qualidade do ar respirado, sendo determinantes na morbidade ambulatorial e hospitalar da Infeccoes Respiratorias Agudas (IRA), principalmente em criancas. Sabe-se que as taxas elevadas de mortalidade e morbidade mostram a amplitude e a necessidade do estudo da IRA em todo o mundo. As avaliacoes feitas nos servicos de Saúde, nos quais ja se tem o programa de IRA, mostram que a sua magnitude e preocupante para as autoridades sanitarias quando do planejamento, organizacao e intervencao das acoes de Saúde em determinada comunidade. Este trabalho foi delineado e executado com o objetivo de estudar a influencia dos fatores ambientais na morbidade da IRA em criancas. Foi realizado estudo tipo transversal, com coleta de dados secundarios, utilizando-se dos prontuarios de atendimento do Pronto socorro Municipal de Cuiaba. Para determinacao da casuistica, os seguintes procedimentos foram efetuados: todos os prontuarios das criancas de 0 a 5 anos, de ambos os sexos, foram separados e agrupados por mes do atendimento; destes, foram separados os que tiveram diagnostico de IRA e outros diagnosticos, todos procedentes de Cuiaba. Os dados foram coletados utilizando-se de formulario padronizado, especialmente produzido para este estudo. Os seguintes dados foram anotados dos prontuarios das criancas estudadas: sexo, idade (0 a 1 ano; 1 a 3 anos; 3 a 5 anos); procedencia (Cuiaba e outros); diagnostico (IRA, IVAS ou IVAI e Outros); Conduta (Ambulatorial ou Hospitalar). Para definicao de caso de IRA utilizou-se os criterios contemplados pelo Programa de Assistencia e Controle da IRA do Ministerio da Saúde, considerando-se as seguintes sindromes clinicas: Infeccoes das Vias Aereas Superiores (IVAS) e Infeccoes das Vias Aereas Inferiores (IVAI). As variaveis ambientais estudadas foram: temperatura, velocidade do vento, umidade relativa do ar e numero de focos de calor (queimadas). Os resultados mostram que a prevalencia da IRA nas criancas corresponde a cerca da metade dos atendimentos realizados no periodo estudado, comparando com outros diagnosticos (49, por cento x 50,2 por cento) e que o percentual de casos graves foi elevado (IVAS = 54,8 por cento e IVAI = 45,2 por cento). A necessidade de internacao das criancas com diagnostico de IRA foi 7,6 por cento (NAS = 1,9 por cento; IVAI = 14,6 por cento; p= 0,0001)a(au)pt
dc.format.extent76 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectMorbidadept
dc.subjectInfecções Respiratóriaspt
dc.subjectMeio Ambientept
dc.subjectCriançapt
dc.titleFatores climaticos e morbidade por infeccoes respiratorias agudas(IRA) em criancas menores de 5 anospt
dc.title.alternativeEnvironmental factors and morbidity by acute respiratory infections(ARI) in children under age of 5en
dc.typeDissertação de mestrado
dc.identifier.fileepm-019727.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusUniversidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicinapt


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record