Tratamento nao medicamentoso da hipertensao arterial

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2003
Autores
Przewalla, Simone [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O tratamento nao-medicamentoso pode controlar a hipertensao leve; quando associado com o tratamento farmacologico, pode melhorar o controle do paciente com hipertensao moderada/grave. A boa adesao ao tratamento nao-farmacologico e ao tratamento farmacologico da hipertensao constitui tarefa dificil para o medico e paciente. Existem varias medidas nao-farmacologicas que, quando praticadas, resultam em grande beneficio em relacao ao controle da pressao arterial e co-morbidades comumente encontradas no paciente hipertenso. Dentre as medidas com eficacia comprovada e de melhor impacto na pressao arterial, merecem destaque a reducao de peso, a reducao do sodio da dieta e a pratica regular de atividade fisica. Em relacao a perda de peso, ja foi demonstrado que pequena perda (~5 por cento do peso total) resulta em melhor controle da pressao arterial e das alteracoes metabolicas associadas e em regressao da hipertrofia cardiaca. A reducao moderada do sal da dieta (~6 g/dia) resulta em queda significativa da pressao arterial no paciente hipertenso. O beneficio da atividade fisica no tratamento da hipertensao arterial ate recentemente ainda nao estava bem estabelecido; porem, novos estudos tem demonstrado que a pratica de exercicios do tipo aerobio, e isotonicos de carga moderada resulta na reducao sustentada da pressao arterial. Outras medidas, tais como suplementacao de potassio e aumento do consumo do acido graxo omega 3, tambem resultam em queda da pressao arterial. Finalmente, a perda de peso, principalmente nos pacientes hipertensos com obesidade central, pode resultar em grande beneficio para estes pacientes, pelo fato de nao so reduzir a pressao arterial mas tambem facilitar o controle de co-morbidade (diabete, dislipidemia). O esforco conjunto de equipe multidisciplinar no sentido de entender melhor os pacientes e o empenho no sentido da mudanca de estilo de vida podem resultar em melhor controle da hipertensao e em reducao do risco cardiovascular global
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2003. 131 p.
Coleções