Efeito de diferentes cargas e da variação da posição corporal no desempenho motor no teste de Wingate

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2003
Autores
Tarini, Victor Alexandre Ferreira [UNIFESP]
Orientadores
Zogaib, Paulo Sérgio Martino [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O teste Anaerobio de Wingate tem se consagrado como uma medida confiavel da capacidade anaerobia como um todo, possuindo alta reprodutibilidade nos diferentes segmentos populacionais. Porem, alguns estudos sugeriram que a carga originalmente proposta por BAR-OR, 0,075 Kp.kg-1 de Massa Corporal, seria insuficiente para extrair valores mais elevados de potencia em individuos adultos (DOTAN & BAR-OR, 1983; EVANS & QUINNEY, 1981; INBAR et ai, 1996; LA VOIE et ai, 1984; LOPATO et ai, 1989; PATTON et ai, 1985, SPOSA et ai, 1987 e OKANO et ai., 2001). Propondo com isso, que pode haver a necessidade de se aplicar diferentes cargas para diferentes grupos de individuos, alem de observarmos a necessidade de se aplicar cargas superiores a 0,090 Kp.Kg-' de MC ao avaliarmos atletas, o que proporciona maiores valores de Potencia. A variacao da posicao corporal tambem tem sido objeto de estudo, com o intuito de adequar a metodologia para obter melhores resultados de desempenho, como observado nos estudos de HEBESTREIT, et ai. 1999; BAKER, et ai., 2001; BAKER, et ai. 2002; REISER, et ai. 2002. Pode-se concluir que o teste de Wingate avalia o desempenho anaerobio do corpo como um todo, segundo o que foi observado por BAKER et ai, 2002, no qual ha uma participacao importante da parte superior do corpo tanto nos valores de desempenho quanto nos valores bioquimicos, o que impede qualquer analise de desempenho de uma porcao isolada por meio desta medida. Ja o estudo de REISER, et ai 2002, apresenta uma proposta interessante ao se avaliar ciclistas na posicao em pe, aproximando o gesto mecanico desempenhado em teste ao desempenhado durante o sprint das provas. O que proporciona valores de potencia mais proximos dos reais, sem esquecer que esta medida sempre apresentara limitacoes pois nao e possivel reproduzir as condicoes reais no ambiente de laboratorio. Por fim foram analisados os valores de confiabilidade dos estudos que analisaram o efeito de diferentes cargas e da variacao da posicao corporal no desempenho motor no teste anaerobio de Wingate, propondo que ao avaliarmos individuos com protocolo modificado que testa uma perna por vez, podemos observar que a medida fica menos confiavel . Fato este atribuido ao aprendizado motor. Nos demais experimentos nao foram observados diferencas na confiabilidade nos valores de teste e re-teste intra-individuos
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2003. 59 p.