Nova tecnica para alivio da dor e tratamento da disfuncao da articulacao temporomandibular

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2003
Autores
Froes, Fernando Aranha [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: apresentar uma nova tecnica cirurgica para o tratamento da disfuncao de ATNI em pacientes sem alivio dos sintomas com outras condutas. Metodo: Foi realizado estudo retrospectivo de 326 prontuarios de pacientes com disfuncao de ATIV1 atendidos entre agosto de 1998 e junho de 2000. Dentre esses, 49 foram operados por meio de miotomias, mioplastias e ostectomias do processo coronoide e incluidos nesse estudo. Foram anotados os seguintes parametros: idade, sexo, raca, presenca de hipertonia muscular, condicao dentaria e osteo-cartilaginosa da mandibula, disco articular, condilo mandibular e das articulacoes. Alem disso, foi avaliada a intensidade da dor pela escala numerica (0 -10) nos seguintes momentos: periodo pre-operatorio (Ti), 3 (T2), 7(T3), 15 (T4) 30 (T5) e 90 (T6) dias apos a operacao. Nesses mesmos momentos foi avaliada a dificuldade de abrir a boca. Resultados: A idade media dos pacientes foi de 32,9 a; 8,2 por cento eram do sexo masculino e 91,8 por cento, do sexo feminino. A raca dos pacientes era: branca (79,59 por cento), mulata (12,24 por cento), negra (4,08 por cento) e amarela (4,08 por cento). A hipertonia muscular foi verificada nos musculos masseteres (100 por cento), temporais (91,83 por cento) e pterigoideos mediais (73,46 por cento). Nao havia falhas de dente em 48,98 por cento dos pacientes, 46,94 por cento eram parcialmente desdentados e 4,08 por cento totalmente desdentados. Foram observados: deformacao ossea em 55,10º/a dos pacientes, deslocamento do disco articular em 69,38 por cento, derrame articular em 20,40 por cento e deformacao do condilo mandibular em 46,93 por cento. As medias da intensidade da dor foram diminuindo significativamente nos momentos investigados: 10 em Ti; 4,29 em T2; 1,22 em T3; 0,06 em T4; 0,02 em T5 e zero em T6. A dificuldade de abrir a boca foi observada em 89,8 por cento dos pacientes no pre-operatorio e 100 por cento no pos-operatorio. A partir do 30ºd. houve melhora gradual significativa. Ocorreu hematoma em 1 paciente, abscesso em 1 paciente e neuropraxia em 2 pacientes. Conclusao: Pode-se concluir que a nova tecnica cirurgica e eficaz para alivio da dor, com poucas complicacoes
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2003. 63 p.
Coleções