Caracterização e regulação androgênica de receptores muscarínicos em epidídimo de rato

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2002
Autores
Marostica, Elisabeth [UNIFESP]
Orientadores
Porto, Catarina Segreti [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Estudos anteriores do nosso laboratorio, usando ensaios com radioligantes, mostraram a predominancia de receptores muscarinicos M? na cabeca e cauda do epididimo de ratos com 50 dias de idade. Por outro lado, estudos funcionais mostraram o envolvimento dos receptores muscarinicos M3 com processo contratil de tubulos epididimais obtidos da regiao da cauda. Desta forma, o objetivo deste estudo foi melhor identificar e caracterizar os subtipos de receptores muscarinicos presentes no epididimo de ratos com 50 dias de idade e investigar o papel Jos androgenos na expressao destes receptores. Usando o ensaio da transcriptase reversa seguido da reacao em cadeia da polimerase (RT-PCR), a expressao de RNA mensageiro para :)s subtipos de receptores muscarinicos m1, m2 e m3 foi observada na cabeca e cauda do epididimo de ratos com 50 dias de idade, enquanto transcritos para o subtipo m4 nao foram detectados. Estes resultados 'oram confirmados pelos ensaios de protecao a ribonuclease (RPA). Para estudar a regulacao androgenica dos receptores muscarinicos presentes na cabeca e cauda do epididimo foram usados ratos com 50 dias de idade (controle), castrados (10dias), castrados e tratados com testosterona (3mg/kg peso corporal, 10 dias) e animais com 30 dias de idade. A concentracao plasmatica de testosterona aumentou cerca de 50 por cento nos animais com 50 dias de idade(puberes), quando comparada aos animais de 30 dias de idade(imaturos). Em paralelo foi observado um aumento do peso relativo da cabeca e cauda do epididimo dos animais com 50 dias de idade. Apos a orquidectomia, a concentracao plasmatica de androgeno apresentou-se abaixo dos niveis de sensibilidade do ensaio utilizado, resultando em atrofia da cabeca e cauda do epididimo. O tratamento dos animais castrados com testosterona aumentou 5 vezes a concentracao plasmatica de androgeno, quando comparadaaos animaiscom 50 dias de idade, mas impediu, apenas parcialmente, a diminuicao do peso relativo das duas regioes do epididimo estudadas...(au)
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2002. 146 p. ilustab.