Conhecimentos sobre avaliação e tratamento da dor por pediatras que atuam em Belem(PA)

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2002
Autores
Chermont, Aurimery Gomes [UNIFESP]
Orientadores
Guinsburg, Ruth [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O objetivo desse estudo prospectivo foi analisar os conhecimentos dos pediatras que atuam com pacientes neonatais, no municipio de Belem (PA), em relacao a avaliacao e ao tratamento da dor do recem-nascido, observando tambem se existem diferencas entre os medicos que trabalham exclusivamente em bercario e aqueles que atuam em unidades de terapia intensiva. O universo potencial desse estudo transversal foi de 110 pediatras que trabalhavam, nos anos de 1990 a 2000, nas sete unidades de terapia intensiva e nos 14 bercarios existentes na cidade de Belem, sendo que seis recusaram-se a participar. Portanto, 104 pediatras constituiram a casuistica da presente pesquisa. Todos os 104 medicos responderam a um questionario, na presenca da pesquisadora, com questoes a respeito do perfil do entrevistado e perguntas quanto a metodos de avaliacao da dor, indicacoes para o alivio da dor e opcoes para analgesia no periodo neonatal. Dentre os resultados obtidos, observa-se que 100 por cento dos medicos acreditam que o recem-nascido sente dor, mas apenas um terco deles diz conhecer alguma escala para avaliacao da dor nessa faixa etaria. A maioria dos entrevistados refere perceber a presenca de dor no recem-nascido por meio de parametros comportamentais, como choro e a mimica facial. O choro foi preferido pela maior parte dos pediatras entrevistados como a melhor opcao para avaliar a dor do recem-nascido a termo; a mimica facial para avaliar a dor do prematuro e a frequencia cardiaca para avaliar a dor do neonato em ventiloterapia. Embora 100 por cento dos pediatras entrevistados acreditem que a dor do recem-nascido deva ser tratada por questoes eticas e humanitarias, menos de 10 por cento referem usar analgesia para puncoes venosas e capilares; 30 a 40 por cento dizem empregar analgesia para puncoes lombares, disseccoes venosas, drenagens de torax e ventilacao mecanica. Menos da metade dos entrevistados refere aplicar medidas para o alivio da dor no pos-operatorio de cirurgia abdominal. Em relacao ao medicamento mais utilizado para analgesia, 60 por cento citou o opioide e cerca de 30 por cento o midazolam. Os medicos que trabalhavam com recem-nascidos criticamente doentes mostraram um maior conhecimento a respeito das escalas de dor, porem nao citaram a sua aplicacao com frequencia expressiva para a avaliacao da dor de neonatos a termo, prematuros e de recem-nascidos em ventilacao mecanica...(au)
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2002. 84 + 21 anexos p. tab.