Show simple item record

dc.contributor.advisorBlay, Sergio Luis [UNIFESP]
dc.contributor.authorBruscato, Wilze Laura [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:01:46Z
dc.date.available2015-12-06T23:01:46Z
dc.date.issued2001
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2001. 196 p. tab.
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17570
dc.description.abstractIntrodução: A esquizofrenia e frequentemente caracterizada por deficits na capacidade do individuo de exercer suas acoes proprias e naturais, inclusive no que se refere ao relacionamento interpessoal. Relacao objetal, no contexto deste trabalho, diz respeito a capacidade dos individuos para os relacionamentos humanos e e tida como uma funcao do ego fundamental para a vida psicologica saudavel, podendo-se presumir que varias condicoes patologicas estejam associadas a deficits nesta funcao egoica. Em virtude disto, tem havido um interesse renovado na integracao das questoes ligadas a esquizofrenia as teorias sobre relacoes objetais, que valorizam a natureza interpessoal dos relacionamentos e articulam a psicologia individual com os sistemas de relacionamentos sociais. Objetivos: Este estudo teve como objetivos, averiguar a natureza das relacoes objetais na esquizofrenia, investigar a possivel existencia de um padrao deficitario de relacionamento peculiar deste transtorno e avaliar a interferencia de variaveis clinicas e socio-demograficas nos deficits eventualmente encontrados. Metodo: Duas amostras independentes, compostas, uma por 61 individuos com diagnostico de esquizofrenia de acordo com o criterio do DSM-IV, e a outra por 218 estudantes universitarios voluntarios, foram avaliadas com o Bell Object Relations and Reafty Testing Inventory (BORRTI - Forma 0) e comparadas entre si. A amostra de pacientes tambem foi submetida a avaliacao atraves da Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS) e da Composite Internacional Diagnostic Interview (CIDI). Estes pacientes foram comparados de acordo com subtipos clinicos, sintomatologia predominantemente positiva ou negativa, tempo de duracao da doenca e variaveis socio-demograficas, para investigar se os deficits de relacoes objetais tinham alguma relacao com estas variaveis. Resultados: A comparacao destes dois grupos amostrais revelou, conforme as medidas fornecidas pelas medias dos escores do teste e a porcentagem de altos escores nas quatro subescalas do BORRTI - Forma 0, que o padrao de relacoes objetais foi significantemente diferente para cada um deles (p<0,001)...(au)pt
dc.format.extent196 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectApego ao objetopt
dc.subjectEsquizofreniapt
dc.subjectPsicanálisept
dc.titleRelações objetais na esquizofrenia: um estudo comparativopt
dc.title.alternativeObject relations in schizophrenia: a comparative studyen
dc.typeTese de doutorado
dc.identifier.fileepm-017395.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramPsiquiatria e Psicologia Médica


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record