Caracteristicas da histerossalpingografia de mulheres ferteis

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2000
Autores
Freitas Junior, Antonio Hochgreb [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Analisamos morfologicamente 21 histerossalpingografias de pacientes do Setor de Reproducao Humana da Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina (UNIFESP - EPM), que depois engravidaram naturalmente ou apos inseminacao intra-uterina. A finalidade desse estudo prospectivo foi descrever as caracteristicas desses exames que foram considerados apos a concepcao, como funcionalmente normais. Numa primeira etapa estabeleceu-se a padronizacao do exame desde o preparo da paciente ate o uso de aparelho de RX, alem do instrumental, meio de contraste e tecnica utilizada. Normatizamos tambem os metodos de descricao e interpretacao dos achados radiologicos, em conjunto com o Departamento de Diagnostico por Imagem da UNIFESP - EPM, e os exames foram feitos sob as mesmas condicoes e sempre pelo mesmo radiologista. Numa segunda etapa foram analisadas as histerossalpingografias, em relacao ao canal cervical, ao istmo, a cavidade uterina e ao lumen tubario. Tambem analisamos a permeabilidade e a retencao do meio de contraste pelos ovidutos, assim como a sua dispersao na pelve. Tambem fez parte dessa analise, as medidas do diametro do istmo, da distancia entre os cornos uterinos e dos diametros dos segmentos tubarios istmico e ampolar. Os resultados demostraram que, em relacao ao colo, istmo e cavidade uterina, nao houve maior frequencia de qualquer caracteristica, estando os resultados compativeis com os dados da literatura que atestam as histerossalpingografias como normais. No que concerte as tubas uterinas, observamos com frequencia elevada relevo mucoso tubario normal, com presenca de pregas mucosas longitudinais finas (90 por cento) e diametro da regiao istmica menor ou igual a I mm (I OO por cento). Tambem foram registradas permeabilidade tubaria, ausencia de retencao do meio de contraste na tuba e dispersao homogenea do meio de contraste na pelve, pelo menos unilateralmente em todas as histerossalpingografias
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2000. 74 p. ilustab.
Coleções