Incidencia e fatores relacionados a progressao da disfuncao cronica do enxerto em 585 tramnsplantes renais

Nenhuma Miniatura disponível
Data
1999
Autores
Matsui, Yoko [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A rejeicao cronica constitui-se atualmente na principal causa de perda tardia de O enxertos. A falencia do enxerto renal e uma das causas mais frequentes de insufiCiência renal cronica terminal, sendo responsavel por 25 a 30 por cento dos pacientes que aguardam um novo transplante renal. A Introdução da Ciclosporina no esquema imunossupressor, melhorou a sobrevida do enxerto no 1§ ano em, 10 a 20 por cento, porem nao houve reducao da perda de enxerto por rejeicao cronica. O objetivo do presente trabalho e analisar a incidencia de rejeicao cronica e os possiveis fatores relacionados a perda cronica do enxerto nos 585 transplantes renais realizados entre 15/06/76 e 25/03/92 na Unidade de Transplante Renal na Escola Paulista de Medicina. Os principais fatores de risco estudados para o desenvolvimento da rejeicao cronica incluem: I- histoincompatibilidade; 2- frequencia e intensidade de episodios de rejeicao aguda- 3- tempo de isquemia fria; 4- infeccoes (especialmente infeccao por citomegalovirus)- 5- idade do doador e do receptor; 6- anormalidades no perfil lipidico do receptor; 7- massa renal do doador; 8- imunossupressao inadequada, ou seja, regimes inadequados ou insuficientes de imunossupressao podem ser a causa de episodios subclinicos de rejeicao aguda, levando com o passar do tempo a uma forma cronica de rejeicao. O ponto de admissao no estudo foi uma creatinina serica igual ou superior a 2mg/dl. Cento e seis pacientes foram incluidos no estudo e foram divididos em 3 grupos quanto ao declinio da funcao renal: grupo A (N=32) com funcao renal estavel- grupo B (N=30) com perda lenta e gradual da funcao renal, sem retomo a dialise; e grupo C (N=44) com evolucao para perda do enxerto, e retorno a dialise. O tempo medio de seguimento foi de 3 anos e 3 meses. As caracteristicas clinicas foram comparaveis nestes 3 grupos, quanto a idade e o sexo do doador e receptor; tipagem sanguinea; diagnostico etiologico da insufiCiência renal cronica terminal. A intensidade das alteracoes histopatologicas foi usado o indice de cronicidade, analisando a inflamacao e fibrose intersticial, esclerose glomerular e aumento do matriz, proliferacao da intima vascular e atrofia tubular. Nao houve diferenca quanto a reatividade contra painel, compatibilidade HLA, tipo de doador, presenca de necrose tubular aguda, nefrotoxicidade por Ciclosporina, hipertensao arterial, numero de anti-hipertensivos, infeccoes, creatinina no dia da alta e...(au)
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 1999. 136 p. tab.
Palavras-chave
Coleções