A ação da zidovudina associada ao ritonavir sobre os fígados e rins maternos fetais durante a prenhez da Rata Albina(Rattus norvegicus albinus, Rodentia, Mammalia)

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2009
Autores
Fontes, Tereza Maria Pereira [UNIFESP]
Orientadores
Nakamura, Mary Uchiyama [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: Investigar os efeitos morfológicos e bioquímicos da exposição à zidovudina associada ao ritonavir, durante toda a prenhez da rata, sobre os fígados e rins maternos e fetais. Métodos: 40 ratas albinas EPM 1 Wistar prenhes foram divididas em quatro grupos numericamente iguais: ao grupo Controle, foi administrada apenas água destilada e, aos demais grupos: Experimental 1 (E1), Experimental 2 (E2) e Experimental 3 (E3), foram administrados 10, 30 e 90 mg/kg de zidovudina associada respectivamente a 20, 60 e 180 mg/kg de ritonavir, por dia, durante toda a prenhez. No 20° dia da prenhez, foram analisadas a estrutura histológica, através da microscopia óptica, dos fígados e rins maternos e fetais, bem como as dosagens sanguíneas de AST, ALT, ureia e creatinina das matrizes. As variáveis numéricas foram analisadas pelos testes de Kruskal-Wallis e pelo teste das Comparações Múltiplas. Resultados: Os fígados e rins fetais se mostraram normais à análise histológica, enquanto os maternos apresentaram alterações na sua estrutura microscópica. Nos rins, essas alterações histológicas ocorreram nos três grupos Experimentais de forma progressiva e dose-dependentes, e, nos fígados, foram encontradas apenas no grupo E3. Em relação ao grupo Controle, os níveis sanguíneos de AST e ALT não apresentaram diferença estatística; já os níveis de ureia e creatinina no sangue foram significativamente menores nos grupos E3 (p=0,00002) e E1 (p=0,00403), respectivamente. Conclusões: A associação entre a zidovudina e o ritonavir, quando administrada durante toda a prenhez da rata albina, afetou a estrutura histológica dos rins das matrizes nos três grupos Experimentais e, curiosamente, diminuiu seus valores sanguíneos de creatinina e a ureia, respectivamente, nos grupos que recebeu a menor dose, equivalente à terapêutica (E1) e à maior dose (E3). Alterou, ainda, a estrutura histológica do fígado das matrizes somente no grupo que recebeu nove vezes a dose terapêutica (E3) sem, contudo, provocar alterações nas dosagens de AST e ALT, e não provocou nenhuma alteração estrutural nos fígados e rins das crias em todos os grupos estudados.
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2009. 111 p.