Uso de duas concentrações sanguíneas de Sirolimo associado à exposição reduzida de Ciclosporina em receptores de transplante renal de origem étnica negra

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2009-02-27
Autores
Ferreira, Alexandra Nicolau [UNIFESP]
Orientadores
Pestana, Jose Osmar Medina [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: black recipients have worse long term outcome after kidney transplantation. Immunosuppression regimens with CSA, prednisone and SRL improve kidney transplantation in these patients, lowering the incidence of acute rejection as compared with CSA, Pred and AZA. A higher SRL exposure is usually necessary in these patients to achieve the same benefits observed among Caucasian recipients. Objectives: to establish better serum SRL levels in black kidney transplant recipients. Method: This is a prospective, randomized, open label study, with a 12 month follow up period, in which 70 kidney transplant recipients, 64 with living donors and 6 with deceased donors, were analyzed comparing two different serum SRL levels. The immunosuppression regimens were CSA 8-10 mg/kg/day, prednisone 30 mg day, and a SRL loading dose of 15 mg, followed by a daily dose of 5 mg till day 7. After that, patients were randomized to one of two study groups. In the group I the target serum SRL concentration was 8-12 ng/mL and in group II, 15-20. Serum SRL levels were determined using HPLC. The primary efficacy endpoints were the incidence of acute rejection and the patient’s death and graft survival. The secondary efficacy endpoints were the survival free of acute rejection and renal function at 6 and 12 months. Results: Patient’s mean age was 34 years, 65% were male, with the mean number of HLA mismatches of 3.3. The incidence of biopsy-proven acute rejection at 12 months was 13% (GI: 18% vs. GII: 8.3%, p=0.3). There were three graft failures (GI: 1 vs.GII: 2, p=1.0) and no death. One year graft survival was 82.4% in GI and 91.7% in GII, p=0.24. There were no differences in serum creatinine levels (GI: 1.6 ± 0.4 mg/dL vs. GII: 1.8 ± 0.7, p=0.13), cholesterol (GI: 250 ± 60 mg/dL vs. GII: 250 ± 64, p= 0.99), triglyceride (GI: 279 ± 156 mg/dL vs. GII: 269 ± 180, p= 0.81) and hemoglobin (GI: 14±2.5 g/dL vs. GII: 13.4 ± 3.0, p=0.37). Conclusion: black kidney transplant recipients with higher levels of SRL exposure have a very low incidence of acute rejection. Serum SRL levels between 12 and 15 ng/mL are probably the best option for these patients.
Introdução: pacientes de etnia negra submetidos ao transplante renal apresentam pior evolução em longo prazo. A imunossupressão contendo CSA, prednisona e SRL beneficia esses pacientes reduzindo a incidência de rejeição aguda quando comparada com a utilização de CSA, prednisona e AZA. Entretanto, doses maiores de SRL são necessárias para pacientes de etnia negra em comparação com as habitualmente empregadas em pacientes caucasianos. Objetivo: estabelecer a melhor concentração sangüínea de SRL em transplantes renais realizados em pacientes de etnia negra. Métodos: estudo prospectivo, randomizado, aberto, com duração de 12 meses que avaliou 70 transplantados renais, 64 destes, receptores de doadores vivos e 6 de doadores falecidos que comparou dois níveis diferentes de exposição ao SRL. O esquema imunossupressor consistiu de CSA administrada na dose de 8-10 mg/kg/dia, prednisona 30 mg/dia e SRL na dose inicial de 15 mg/dia seguida de 5 mg/dia do 2º ao 7º dia após o transplante. A partir do 7º dia, os pacientes foram randomicamente divididos em dois grupos. No grupo I a concentração sérica de SRL a ser atingida foi de 8-12 ng/mL, e no grupo II, de 15-20. O método empregado para determinar as concentrações séricas do SRL foi a Cromatografia Líquida de Alta Performance. O desfecho primário de eficácia foi determinar a incidência de episódios de rejeição aguda, do óbito do paciente e a sobrevida do enxerto. Como desfechos secundários foram também analisados o tempo de sobrevida livre de rejeição aguda e a função renal no 6o e no 12o meses. Resultados: a média de idade dos pacientes foi de 34 anos, 67% eram homens, com um número médio de incompatibilidades HLA de 3,3. A incidência de rejeição aguda comprovada por biópsia ao final do 12o mês foi de 13% (18% no GI vs. 8,3% no GII, p=0,3). Houve 3 perdas de enxertos (1 no GI vs. 2 no GII, p= 1,0) e nenhum óbito. A sobrevida do enxerto foi de 97% no grupo I e de 94% no grupo II, p= 0,57. A sobrevida livre de rejeição aguda ao final do primeiro ano foi de 82,4% no GI e de 91,7% no GII, p=0,24. Não houve diferenças aos 12 meses em relação aos níveis de creatinina (1,6 ± 0,4 mg/dL no GI vs.1,8 ± 0,7, p=0,13), aos níveis de colesterol (250 ± 60 mg/dL no GI vs. 250 ± 64 no GII, p= 0,99), aos níveis de triglicérides (279 ± 156 mg/dL no GI vs. 269 ± 180 no GII, p= 0,81) e aos valores de hemoglobina (14 ± 2,5 g/dL no GI vs. 13,4±3,0 no GII, p=037). Conclusão: a exposição de pacientes transplantados renais de etnia negra a doses maiores de SRL foi benéfica na prevenção de rejeição aguda. Níveis séricos de SRL mantidos no intervalo de 12 a 15 ng/mL são provavelmente indicados nestes pacientes.
Descrição
Citação
FERREIRA, Alexandra Nicolau. Uso de duas concentrações sanguíneas de Sirolimo associado à exposição reduzida de Ciclosporina em receptores de transplante Renal de origem étnica negra. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.