Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8468
Title: Adesão ao tratamento clínico ambulatorial da hipertensão arterial sistêmica
Other Titles: Compliance with outpatient clinical treatment of hypertension
Authors: Gomes e Martins, Aurelina
Chavaglia, Suzel Regina Ribeiro
Ohl, Rosali Isabel Barduchi [UNIFESP]
Martins, Igor Monteiro Lima
Gamba, Mônica Antar [UNIFESP]
Universidade Estadual de Montes Claros
Universidade Federal do Triângulo Mineiro Escola de Enfermagem
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros
Keywords: Patient compliance
Hypertension/therapy
Blood pressure monitoring, ambulatory
Primary care nursing
Patient acceptance of health care
Cooperação do paciente
Hipertensão/terapia
Monitoração ambulatorial da pressão arterial
Enfermagem de atenção primária
Aceitação do paciente de cuidados de saúde
Issue Date: 1-Jul-2014
Publisher: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: Acta Paulista de Enfermagem. Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), v. 27, n. 3, p. 266-272, 2014.
Abstract: Objective Assessing the compliance with outpatient treatment of hypertension.Methods Cross-sectional study in which were studied demographic and socioeconomic variables, as well as of knowledge about the disease. The Morisky-Green Test (MGT) was applied to measure the compliance with treatment, and multiple logistic regression to identify factors associated with it.Results There was homogeneity between compliance/non-compliance regarding gender, age, marital status, color/race, education, professional activity, number of people in the household and occupation. There was a significant association between income and compliance with treatment (p = 0.039). The hypertensive subjects guided by the community health agents had 2.21 times greater risk of non-compliance with medication compared to those guided by the team and adjustment to income of the subjects non-compliant with medication (OR = 2.21, CI 1.08 -4, 85, p = 0.033).Conclusion Income and the guidance provided by community health agents interfered in the compliance with treatment, requiring training and the offer of fundraising practices and lifestyle changes.
Objetivo Analisar adesão ao tratamento clínico ambulatorial da hipertensão arterial.Métodos Estudo transversal, onde foram estudadas variáveis demográficas, socioeconômicas e de conhecimento sobre a doença. Aplicou-se Teste de Morisky-Green (TMG) para medir adesão, e regressão logística múltipla, identificando os fatores associados à adesão.Resultados Observou-se homogeneidade entre adesão/não adesão quanto ao sexo, faixa etária, estado civil, cor/raça, escolaridade, atividade profissional, número de pessoas na casa e ocupação. Evidenciou-se associação significativa entre renda e adesão ao tratamento (p=0,039). Os hipertensos orientados pelos agentes comunitários de saúde apresentaram 2,21 vezes mais chance de não adesão à medicação quando comparados aos orientados pela equipe e ajustados a renda de não/adesão à medicação (OR= 2,21; IC 1,08 -4,85; p=0,033).Conclusão A renda e as orientações prestadas pelos agentes comunitários de saúde interferiram na adesão, havendo necessidade de capacitação e oferecimento de práticas de captação de renda e mudança de hábitos.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8468
ISSN: 0103-2100
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201400045
Appears in Collections:Em verificação - Geral

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0103-21002014000300266.pdf493.16 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.