Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7982
Title: Avaliação da ocorrência do refluxo venoso da safena magna pela ultrassonografia com doppler colorido após tratamento cirúrgico da insuficiência da junção safeno-femoral
Other Titles: Evaluation of the venous reflux of the great saphenous vein by duplex scan after surgical treatment of the saphenofemoral junction insufficiency
Authors: Gurgel, Gutenberg do Amaral
Castro, Aldemar Araujo [UNIFESP]
Araújo, Marcelo
Amorim, Jorge Eduardo de [UNIFESP]
Pitta, Guilherme Benjamin Brandão
Miranda Junior, Fausto [UNIFESP]
Universidade Potiguar Disciplina de Cardio-Renal-Vascular
Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Departamento de Medicina Social
Universidade Estadual de Santa Cruz Departamento de Saúde Disciplina de Angiologia
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Clinica Cirúrgica
Keywords: Varicose veins
Venous insufficiency
Operative surgical procedures
Saphenous vein
Color Doppler ultrasonography
Varizes
Insuficiência venosa
Procedimentos cirúrgicos operatórios
Veia safena
Ultrassonografia Doppler em cores
Issue Date: 1-Oct-2013
Publisher: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Citation: Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 40, n. 5, p. 380-385, 2013.
Abstract: OBJECTIVE: To evaluate the occurrence of reflux from the great saphenous vein by color Doppler ultrasonography in subjects undergoing treatment of insufficiency of the saphenofemoral junction by simple ligation or ligation with section of the saphenous arch. METHODS: We performed 60 operations (in 45 subjects) of varicose insufficiency of the saphenofemoral junction (SFJ), belonging to the CEAP clinical classification of 2-5, who were randomly divided into two groups. A group called C, with ligature and section of the saphenous arch, and a group called L, with simple ligation of the saphenous vein and no sectioning of its arch. We then investigated the occurrence of reflux from the great saphenous vein in groups C and L through postoperative color Doppler ultrasonography at intervals of six months to one year. RESULTS: Of the 60 members submitted to the approach of the saphenous arch, 57 were evaluated by postoperative doppler ultrasound, since two subjects (three limbs) did not return and were excluded from the study. The mean age was 54 years, with 93% females and predominance of CEAP classification 2 in 60.5%. Of the 57 operations for the treatment of reflux of the saphenous arch, 43.9% had reflux postoperatively,14.1% in group C and 29.8% in group L (p < 0,05). The relative risk of reflux of the saphenous arch in group L was 2.03 times higher compared with group C. CONCLUSION: the section of the arch of the great saphenous vein causes less postoperative reflux than simple ligation in treatment of insufficiency of the great saphenous vein.
OBJETIVO: avaliar a ocorrência do refluxo da safena magna através da ultrassonografia com Doppler colorido em sujeitos submetidos ao tratamento da insuficiência da junção safeno-femoral por ligadura simples ou por ligadura com secção da crossa. MÉTODOS: foram realizadas 60 operações (45 sujeitos) de varizes com insuficiência da junção safeno-femoral (JSF), pertencentes à classificação clínica do CEAP 2 a 5, que foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos. Um grupo denominado C, com ligadura e secção da crossa, e um grupo denominado L, com ligadura simples sem secção da crossa da veia safena magna. Foi então pesquisada a ocorrência do refluxo da safena magna nos grupos C e L através da ultrassonografia doppler colorida após o tratamento cirúrgico com intervalos de seis meses a um ano. RESULTADOS: dos 60 membros submetidos à abordagem da crossa da safena magna, 57 foram avaliados pela ultrassonografia doppler pós-operatório, pois dois sujeitos (três membros) não retornaram e foram excluídos do estudo. A média de idade foi 54 anos, 93% do sexo feminino e predominância da classificação (CEAP) C2 de 60,5%. Das 57 operações para o tratamento do refluxo da crossa da safena, 43,9% apresentaram refluxo no pós-operatório, sendo 14,1% do grupo C e 29,8% no grupo L (p<0,05). O risco relativo de apresentar refluxo da crossa da safena no grupo L foi 2,03 vezes maior em comparação com o grupo C. CONCLUSÃO: a secção da crossa da safena magna apresenta menos refluxo pós-operatório do que a ligadura simples no tratamento da insuficiência da crossa da veia safena magna.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7982
ISSN: 0100-6991
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912013000500006
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0100-69912013000500006.pdf196.2 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.