Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7514
Title: Perfil socioeconômico, nutricional e de ingestão alimentar de beneficiários do Programa Bolsa Família
Authors: Cabral, Marcela Jardim
Vieira, Karlla Almeida
Sawaya, Ana Lydia [UNIFESP]
Florêncio, Telma Maria Menezes Toledo
Universidade Federal de Alagoas Faculdade de Nutrição
Centro de Recuperação e Educação Nutricional
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: Undernutrition
Obesity
Food intake
Food insecurity
Family Allowance Program
Desnutrição
Obesidade
Ingestão alimentar
Insegurança alimentar
Programa Bolsa Família
Issue Date: 1-Jan-2013
Publisher: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Citation: Estudos Avançados. Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, v. 27, n. 78, p. 71-87, 2013.
Abstract: We studied beneficiaries of Bolsa Família Maceió - AL and found a high prevalence of malnutrition in children (18%) and adolescents (20%), but overweight in adults (51%). Women beneficiaries were 4 times more likely to have abdominal obesity compared to other adults. The vast majority of households (92%) had food insecurity (FI); severe FI was found in 33%. There was an association between FI and larger number of people in the house and unemployment. An increase in the consumption of foods rich in carbohydrates and lipids was found in obese women in comparison to other studies. It was found inadequate intake of calcium, folate, vitamin E, magnesium, vitamin C, zinc, riboflavin, thiamine and fiber. These findings demonstrate the need for integrated actions between education / health and income transfer programs.
Foram estudados beneficiários do Programa Bolsa Família de Maceió (AL) e encontrada alta prevalência de desnutrição nas crianças (18%) e adolescentes (20%); mas excesso de peso nos adultos (51%). As mulheres beneficiárias tiveram quatro vezes mais chance de ter obesidade abdominal em relação aos outros adultos. A maioria das famílias (92%) apresentou Insegurança Alimentar (IA), sendo em 33% grave. Houve associação entre IA e maior número de pessoas na casa e desemprego. Entre as obesas houve aumento no consumo de alimentos ricos em carboidratos e lipídios em relação à outra população não beneficiária. Encontrou-se ingestão inadequada de cálcio, folato, vitamina E, magnésio, vitamina C, zinco, riboflavina, tiamina e fibra. Esses achados demonstram a necessidade de ações integradas entre políticas de educação/saúde e os programas de transferência de renda.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7514
ISSN: 0103-4014
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142013000200006
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0103-40142013000200006.pdf524.82 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.