Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5333
Title: Prevalência de abuso físico na infância e exposição à violência parental em uma amostra brasileira
Other Titles: Prevalence of physical abuse in childhood and exposure to parental violence in a Brazilian sample
Authors: Zanoti-Jeronymo, Daniela Viganó
Zaleski, Marcos [UNIFESP]
Pinsky, Ilana [UNIFESP]
Caetano, Raul
Figlie, Neliana Buzi [UNIFESP]
Laranjeira, Ronaldo [UNIFESP]
Universidade Estadual do Centro Oeste
Universidade Federal de Santa Catarina Núcleo de Psiquiatria
Instituto de Psiquiatria de Santa Catarina
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas
University of Texas School of Public Health
Keywords: Domestic Violence
Child Abuse
Parents
Violência Doméstica
Maus-Tratos Infantis
Pais
Issue Date: 1-Nov-2009
Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Citation: Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 25, n. 11, p. 2467-2479, 2009.
Abstract: The aim of this study was to investigate the prevalence of physical abuse and exposure to parental violence during childhood, in relation to socio-demographic characteristics. Multi-stage sampling was used to select 3,007 individuals 14 years or older in 2005-2006, from all regions of the country. The study detected cases of physical abuse (beating, striking with objects, burning or scalding, threatening and/or using knives or firearms) and exposure to parental violence (witnessing parental threats and/or actual physical aggression) during childhood. Analyses were performed with the Pearson chi-square test. Prevalence of history of physical abuse in childhood was 44.1% (33.8% moderate, 10.3% severe). Prevalence of exposure to parental violence was 26.1% (7.5% witnessed moderate parental violence and 18.6% severe). Combined analyses of these two types of violence showed significant associations between them. The findings may help implement intervention strategies to call the attention of health professionals to the high prevalence of this type of violence.
O estudo objetivou avaliar a prevalência de abuso físico e exposição à violência parental na infância, segundo características sócio-demográficas. Um procedimento de amostragem de múltiplos estágios foi usado para selecionar 3.007 indivíduos de 14 anos de idade ou mais, entre 2005/2006, incluindo sujeitos de todas as regiões do país, assim, os resultados são nacionalmente representativos. Foram acessadas experiências de abuso físico (bater, bater com alguma coisa, queimar/escaldar, ameaçar/usar faca ou arma) e exposição à violência parental (testemunhou ameaça e/ou agressão física parental) na infância. Realizaram-se as análises através do teste qui-quadrado de Pearson. A prevalência de história de abuso físico na infância foi de 44,1%, sendo que 33,8% relataram história de abuso físico moderado e 10,3% abuso físico severo. A prevalência de exposição à violência parental foi de 26,1%, sendo que 7,5% testemunharam violência parental moderada e 18,6% testemunharam violência parental severa na infância. Análises combinadas entre estes dois tipos de violência demonstraram significativas associações entre elas. Estes resultados podem ajudar na implementação de estratégias de intervenção alertando profissionais de saúde para alta prevalência deste tipo de violência na população.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5333
ISSN: 0102-311X
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009001100016
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0102-311X2009001100016.pdf118.76 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.