Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/51903
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorColantonio, Emilson [UNIFESP]
dc.contributor.authorIto, Grace Kaori [UNIFESP]
dc.coverage.spatialISSpt_BR
dc.date.accessioned2020-01-29T16:21:56Z
dc.date.available2020-01-29T16:21:56Z
dc.date.issued2011-12-05
dc.identifier.citationITO, Grace Kaori. O efeito do treinamento de kendo sobre a densidade mineral óssea em mulheres pós-menopausa: estudo piloto. 2011. 37 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2011.pt
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/handle/11600/51903
dc.description.abstractIntrodução: Sabe-se dos benefícios da prática de exercícios físicos para a saúde e, em especial, para a saúde da massa óssea devido ao efeito do estresse mecânico oferecido pelos movimentos no próprio tecido ósseo. Entretanto, a literatura carece de estudos que utilizaram a arte marcial Kendo como um veículo não medicamentoso promotor de saúde, sobretudo no tocante aos níveis de densidade mineral óssea (DMO) em mulheres idosas. Objetivo: O presente trabalho teve objetivo analisar os benefícios da prática do Kendo sobre as patologias ligadas à DMO, em pessoas do sexo feminino com descendência asiática, com idade acima de 50 anos, pós-menopausa. Metodologia: Dessa forma, as voluntárias foram divididas em um grupo controle formado por mulheres sedentárias e um grupo experimental formado por mulheres praticantes de Kendo. Todas as voluntárias foram submetidas a algumas avaliações primárias (anamnese, questionários e antropometria) e o exame de densitometria óssea (DEXA). Análise estatística: análise descritiva e inferencial através do test t de Student. Resultados: Praticantes de Kendo: idade (58,40 ± 8,17 anos), massa corporal (57,20 ± 3,70 kg), estatura (1,55 ± 0,04 m), índice de massa corporal (23,84 ± 2,15 kg/m2); DEXA: coluna lombar (1,05 ± 0,18 g/cm2), t-score(CL) -1,08, colo do fêmur (0,92 ± 0,17 g/cm2), t-score(CF) -0,84. Sedentárias: idade (58,29 ± 5,68 anos), massa corporal (62,10 ± 8,22 kg), estatura (1,54 ± 0,06 m), índice de massa corporal (26,60 ± 4,92 kg/m2); DEXA: coluna lombar (1,04 ± 0,12 g/cm2), t-score(CL) -1,19, colo do fêmur (0,85 ± 0,20 g/cm2), t-score(CF) -1,19. Considerações finais: Os resultados obtidos não permitem afirmar que houve diferenças entre os grupos. No entanto, por tratar-se de um estudo-piloto, é importante ressaltar que o tamanho da amostra não permite que se tirem conclusões sobre o comportamento das variáveis. Apesar do conhecido impacto oferecido pela prática do Kendo, outros trabalhos futuros com um controle mais aprimorado de outras variáveis devem ser conduzidospt_BR
dc.description.abstractIntroduction:Itknowsthe benefits ofphysical exercisefor health andin particularto the health ofbone mass duethe effectof mechanical stressprovided bymovementsin the bone tissue. However, the literaturehasa few studiesusingtheKendomartial artsas a vehiclefornon-drughealthpromoting, especiallyonthe bone mineral density (BMD)levelsin older women. Objective:Theaim of thepresent study was to analyze the benefits of practicing Kendo on diseases linked toBMD in females with Asian descent, age above 50 years, postmenopausal. Methodology:Thus, the volunteers were divided intoacontrol group ofsedentary womenandanexperimental groupcomprised ofpractitioner Kendo women.Allvolunteers weresubmitted tosomeprimaryassessments(interview, questionnaires andanthropometry)andbone densitometry(DEXA). Statistical analysis:descriptiveand inferentialanalysisusing theStudent ttest. Results:Kendo practitioners: age (58.40 ±8.17 years), body mass (57.20 ±3.70 kg), height (1.55±0.04m), body mass index(23.84 ±2.15kg/m2); DXA: lumbar spine (1.05±0.18g/cm2), T-score (CL) -1.08, femoral neck (0.92±0.17g/cm2), t-score (CF) -0.84. Sedentary: age (58.29 ±5.68 years), body mass (62.10±8.22 kg), height (1.54±0.06m), body mass index(26.60 ±4, 92kg/m2); DXA: lumbar spine (1.04±0.12g/cm2), T-score (CL) -1.19, femoral neck (0.85±0.20g/cm2), t-score (CF) -1.19. Conclusion:The results did notallow us to statethat there were differencesbetween the groups.However, since this isapilot study, it is important to note thatthe sample sizedoes not allowconclusions to be drawnabout the behaviorof the variables.Despite the knownimpactofferedby the practice ofKendo, other future workwithamore enhancedcontrolof other variablesshould be conducteden
dc.format.extent37 f.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)pt_BR
dc.rightsAcesso abertopt_BR
dc.subjectDensidade mineral ósseapt_BR
dc.subjectMulherespt_BR
dc.subjectPós menopausapt_BR
dc.subjectKendopt_BR
dc.subjectBone mineral densityen
dc.subjectWomenen
dc.subjectPostmenopausalen
dc.subjectKendoen
dc.titleO efeito do treinamento de kendo sobre a densidade mineral óssea em mulheres pós-menopausa: estudo pilotopt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de curso de graduaçãopt_BR
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
unifesp.campusInstituto de Saúde e Sociedade (ISS)pt_BR
unifesp.knowledgeAreaPromoção da saúdept_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9840076091240222pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9840076091240222pt_BR
unifesp.departamentoCiências do Movimento Humanopt_BR
unifesp.graduacaoEducação Físicapt_BR
Appears in Collections:Trabalho de conclusão de curso de graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GRACE ITO.pdfTCC completo1.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.