Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4854
Title: Estudo transversal sobre o tratamento das lesões acrômioclaviculares agudas
Other Titles: Transversal study about acute acromioclavicular lesions
Authors: Tamaoki, Marcel Jun Sugawara [UNIFESP]
Cocco, Luiz Fernando [UNIFESP]
Pereira, Henrique Rodrigues Fernandes [UNIFESP]
Belloti, Joao Carlos [UNIFESP]
Santos, João Baptista Gomes dos [UNIFESP]
Archetti Neto, Nicola [UNIFESP]
Matsumoto, Marcelo Hide [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: Acromioclavicular joint
Shoulder dislocation
Shoulder
Articulação acromioclavicular
Luxação acromioclavicular
Ombro
Issue Date: 1-Jan-2009
Publisher: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Citation: Acta Ortopédica Brasileira. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 17, n. 5, p. 300-304, 2009.
Abstract: The objective of the present transversal study is to check how Brazilian orthopedists treat these injuries, their criteria for choosing the treatment, results and complications. METHODS: During the 6th Brazilian Congress of Shoulder and Elbow Surgery (CBOC) and the 38th Brazilian Congress of Orthopaedics and Traumatology (CBOT) 507 questionnaires were distributed (148 CBOC and 359 CBOT), with 478 being considered for analysis. RESULTS: Regarding type-I and -II ACIs, most of the respondents use traditional non-surgical methods. On the other hand, for type-IV, V and VI injuries, 475 (99.4%) of the respondents indicate surgical methods. Concerning type-III injuries, there is no consensus in the selection between traditional and surgical treatment for 386 (80.7%) respondents, with the most important factor for selecting a given treatment method being the patient's level of sports practice and age. CONCLUSION: There is no consensus regarding type-III ACIs, and the selection of the best treatment method is made according to patient's individual characteristics. However, current literature shows a trend towards non-operative methods.
OBJETIVO: O objetivo do presente estudo transversal é verificar como o ortopedista brasileiro interpreta as lesões acromioclaviculares quanto aos critérios para a indicação do tratamento cirúrgico ou não, seus métodos preferidos, as complicações mais frequentes e os resultados obtidos. MÉTODOS: Durante o 6º Congresso Brasileiro de Cirurgia do Ombro e Cotovelo (CBOC) e o 38º Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia (CBOT) foram distribuídos 507 questionários, sendo considerados 478 para análise. RESULTADOS: Em relação ao tratamento das LAC tipo I e II, a maioria dos entrevistados utilizam métodos não cirúrgicos. Em contraposição nas LAC IV, V e VI 475 (99,4%) dos entrevistados tratam essas lesões cirurgicamente. Nas LAC tipo III não existe uma definição na escolha do tratamento cirúrgico ou não cirúrgico para 386 (80,7%) entrevistados, sendo que o fator mais importante para tomada de decisão para a maioria dos entrevistados é a atividade esportiva do paciente e a idade. CONCLUSÃO: Nas LAC tipo III não há consenso, sendo o tratamento determinado conforme as características do paciente, contudo na literatura atual há uma tendência para o tratamento não cirúrgico destas lesões.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4854
ISSN: 1413-7852
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-78522009000500010
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S1413-78522009000500010-en.pdf192.28 kBAdobe PDFView/Open
S1413-78522009000500010-pt.pdf183.27 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.