Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3869
Title: Avaliação quantitativa das forças laterais da patela: ressonância magnética estática e cinemática
Other Titles: Quantitative evaluation of lateral forces on the patella: static and kinematic magnetic resonance imaging
Authors: Yang, Je Hoon [UNIFESP]
Demarchi, Guilherme Tadeu Sauaia [UNIFESP]
Garms, Emerson [UNIFESP]
Juliano, Yara [UNIFESP]
Mestriner, Luiz Aurélio [UNIFESP]
Cohen, Moises [UNIFESP]
Navarro, Ricardo Dizioli [UNIFESP]
Fernandes, Artur da Rocha Correa [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Keywords: Knee
Knee joint
Patella
Patellofemoral pain syndrome
Magnetic resonance imaging
Biomechanics
Chondromalacia patellae
Joelho
Articulação do joelho
Patela
Síndrome da dor patelofemoral
Imagem por ressonância magnética
Biomecânica
Condromalácia da patela
Issue Date: 1-Aug-2007
Publisher: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Citation: Radiologia Brasileira. Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, v. 40, n. 4, p. 223-229, 2007.
Abstract: OBJECTIVE: To evaluate the usefulness of combining static and kinematic magnetic resonance imaging in the evaluation of the femoropatellar joint. MATERIALS AND METHODS: Twenty healthy volunteers (40 knees) and 23 patients (43 knees) were submitted to both static and kinematic magnetic resonance imaging on a 1.5 tesla whole-body magnetic resonance scanner. The knees were positioned at 30º flexion with the quadrature knee coil at the inner end of the examination table. The patellar translation was evaluated by measurements of bisect offset, lateral patellar displacement and patellar tilt angle. The nonparametric Wilcoxon test was utilized for statistical analysis of data resulting from the static and kinematic studies in both groups. Nonparametric Mann-Whitney test was utilized in the comparison between healthy volunteers and patients. RESULTS: Statistical analysis demonstrated significant differences (p < 0.05) between static and kinematic magnetic resonance imaging for the three parameters evaluated in both groups. Among the patients the differences between static and kinematic measurements were greater than those found in the volunteers, at 30&deg; and 20&deg; flexion, with bisect offset and lateral patellar displacement. CONCLUSION: Static and kinematic magnetic resonance imaging, when performed in association, demonstrated that the lateral forces being exerted on the patella are higher at a knee flexion at the range between 20&deg; and 30&deg;, particularly in individuals symptomatic for femoropatellar instability.
OBJETIVO: Avaliar a validade da ressonância magnética cinemática combinada com a ressonância magnética estática no estudo da articulação femoropatelar. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram realizadas ressonância magnética estática e ressonância magnética cinemática em 20 voluntários assintomáticos (40 joelhos) e em 23 pacientes (43 joelhos), em aparelho de configuração fechada de 1,5 tesla de campo. Os indivíduos foram posicionados na extremidade da mesa, em 30&deg; de flexão. A translação patelar foi avaliada medindo-se o desvio da bissetriz, o deslocamento lateral da patela e o ângulo de inclinação da patela. Para a comparação entre os estudos estático e cinemático, foi utilizado o teste não-paramétrico de Wilcoxon. Para a comparação entre os voluntários e os pacientes, foi utilizado o teste de Mann-Whitney. RESULTADOS: Houve diferenças significantes entre a ressonância magnética estática e a ressonância magnética cinemática (p < 0,05) nos três parâmetros utilizados. No grupo dos pacientes, as diferenças entre a ressonância magnética estática e a ressonância magnética cinemática foram maiores que nos voluntários a 20&deg; e a 30&deg; de flexão, com o desvio da bissetriz e com o deslocamento lateral da patela. CONCLUSÃO: A combinação da ressonância magnética estática e ressonância magnética cinemática evidenciou que a força resultante lateral é maior na faixa de 20&deg; e 30&deg; de flexão, especialmente nos indivíduos sintomáticos, para a instabilidade femoropatelar.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3869
ISSN: 0100-3984
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-39842007000400004
Appears in Collections:Artigo
Artigo
Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0100-39842007000400004.pdf218.5 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.