Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3469
Title: AIDS by mother-to-child transmission: survival analysis of cases followed from 1983 to 2002 in different regions of Brazil
Other Titles: AIDS por transmissão vertical: análise de sobrevivência dos casos acompanhados entre 1983 e 2002 nas diferentes regiões do Brasil
Authors: Matida, Luiza Harunari [UNIFESP]
Ramos Junior, Alberto Novaes
Moncau, José Eduardo Cajado
Marcopito, Luiz Francisco [UNIFESP]
Marques, Heloisa Helena de Sousa
Succi, Regina Célia de Menezes [UNIFESP]
Della Negra, Marinella
Hearst, Norman
Secretaria Estadual da Saúde Coordenação Estadual de DST/AIDS de São Paulo
Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Instituto de Infectologia Emílio Ribas
University of California
Keywords: Vertical Disease Transmission
HIV
Acquired Immunodeficiency Syndrome
Survival Analysis
Health Inequalities
Transmissão Vertical de Doença
HIV
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Análise de Sobrevida
Desigualdades em Saúde
Issue Date: 1-Jan-2007
Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Citation: Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 23, p. S435-S444, 2007.
Abstract: Antiretroviral therapy contributes to decreasing morbidity and mortality, and ultimately to increasing survival. In Brazil, there are regional differences in HIV epidemiology regarding pregnant women and children with HIV/AIDS. This study evaluates survival time after AIDS diagnosis in 914 children infected by mother-to-child transmission, reported between 1983 and 1998 and followed until 2002, in Brazil's five regions. Time between birth and HIV diagnosis decreased over the years, mainly in the South and Southeast Regions. There was a significant improvement in survival; more than 75% of cases were still living four years after diagnosis in the 1997-1998 group. This Brazilian study demonstrates that even with regional inequalities in health care infrastructure it is possible for a developing country to establish an effective system of universal and free access to antiretroviral therapy that produces a significant increase in survival for children with AIDS.
A terapia anti-retroviral contribui para a diminuição da morbidade e da mortalidade, com conseqüente aumento da sobrevida. No Brasil, há diferenças regionais relativas à dinâmica da epidemia do HIV e ao seu enfrentamento no grupo das gestantes e das crianças com HIV/AIDS. Este estudo verifica o tempo de sobrevida após o diagnóstico de AIDS em 914 crianças infectadas por transmissão vertical, entre os anos de 1983 e 1998, e acompanhadas até 2002, nas cinco regiões brasileiras. O tempo do nascimento ao diagnóstico de infecção pelo HIV, ao longo dos anos, apresenta uma diminuição, principalmente nos estados das regiões Sul e Sudeste. Houve melhora significativa da sobrevivência, mais de 75% dos casos ainda estavam vivendo quatro anos após o diagnóstico, no grupo de 1997 e 1998. Esta análise brasileira mostra ser possível para um país em desenvolvimento estabelecer um sistema efetivo de acesso gratuito e universal à terapia anti-retroviral, mesmo com dificuldades regionais para a organização de uma infra-estrutura ideal de saúde, tendo como resultado um aumento significativo da sobrevivência.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3469
ISSN: 0102-311X
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007001500011
Appears in Collections:Artigo
Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0102-311X2007001500011.pdf147.15 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.