Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24079
Title: Má absorção e intolerância a sobrecarga de lactose, ingestão de cálcio e densidade mineral óssea em crianças e adolescentes
Other Titles: Malabsorption and intolerance to lactose overload, calcium intake and mineral bone density in children and adolescents
Authors: Morais, Mauro Batista de [UNIFESP]
Medeiros, Lilian Cristiane da Silva [UNIFESP]
Keywords: Ingestão de alimentos
Cálcio
Intolerância à lactose
Osso e ossos
Leite
Densitometria
Issue Date: 2008
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: São Paulo: [s.n.], 2008. 111 p.
Abstract: Objetivo: Avaliar o consumo de cálcio e a densidade mineral óssea de crianças e adolescentes de acordo com a capacidade de absorção e a tolerância a sobrecarga de lactose. Métodos: Estudo transversal com amostra de conveniência composta por 76 crianças e adolescentes com idade entre 5 e 12 anos. 0 método adotado para diagnostico de ma absorção de lactose foi o teste do hidrogênio no ar expirado com dose de lactose de 2 gramas de lactose por quilograma de peso, até o máximo de 50 gramas, em solução aquosa. Incremento de hidrogênio em relação ao jejum ≥ 20 partes por milhão caracterizou má absorção de lactose. Intolerância à sobrecarga de lactose foi definida como presença de sintomas gastrintestinais após a sua ingestão. Foram aplicados dois recordatórios de 24 horas para obtenção dos dados sobre consumo alimentar. 0 conteúdo mineral ósseo (gramas) e a densidade mineral óssea (gramas/centimetr02) foram avaliados em coluna lombar (vértebras L2-L4) e fêmur proximal (total) por densitometria de dupla emissão com fonte de raios-X (DEXA). Resultados: A prevalência de má absorção foi de 61,8% e de intolerância a sobrecarga de lactose 38,1%. Houve associação entre a presença de má absorção e a intolerância a sobrecarga de lactose (p=0,001). Os participantes foram divididos em três grupos: má absorção e intolerância à sobrecarga de lactose (n=25), má absorção e tolerância à sobrecarga de lactose (n=22) e boa absorção e tolerância a sobrecarga de lactose (n=25). Não houve diferença estatisticamente significante (p>0,05) entre os respectivos grupos quanto a ingestão mediana de cálcio total (574, 580 e 527 miligramas), cálcio do leite (261,252 e 150 miligramas), leite (225,212 e 125 mililitros) e densidade de cálcio da dieta (375, 336 e 325 miligramas de cálcio/1000 calorias). Os grupos foram similares com relação ao escore Z de estatura/idade (0,06±0,82; 0,49 to,86 e 0,20 ±0,89) peso/idade (0,01 ±1,06; 0,36 ±1 ,24 e 0,28 ±1,09), índice de massa corporal (16,60 ±2,66; 17,54 ±3,80 e 17,46 ±3,55) e escore Z de índice de massa corporal (-0,09 ±1,24; 0,09 ±1,49 e 0,19 ±1, 17). Os respectivos grupos também não diferiram quanto ao conteúdo mineral ósseo e a densidade mineral óssea da coluna e fêmur. Conclusão: A má absorção e a intolerância a sobrecarga de lactose não afetaram a ingestão de cálcio e a densidade mineral óssea de crianças e adolescentes..
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24079
Appears in Collections:Em verificação - Dissertações e teses

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.