Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/216
Title: Razão de mortalidade proporcional de Swaroop e Uemura: necessidade de revisão periódica de sua definição
Other Titles: Swaroop and Uemura's proportional mortality ratio: the need for periodic revision of the definition
Authors: Paiva, Elias Rodrigues de [UNIFESP]
Juliano, Yára [UNIFESP]
Novo, Neil Ferreira [UNIFESP]
Leser, Walter [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: Health status indicators
Mortality
Indicadores de saúde
Mortalidade
Issue Date: 1-Apr-1987
Publisher: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Citation: PAIVA, Elias Rodrigues de et al . Razão de mortalidade proporcional de Swaroop e Uemura: necessidade de revisão periódica de sua definição. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 21, n. 2, p. 90-107, abr. 1987
Abstract: Using reliable data from 34 countries for the years 1950, 1960, 1970 and 1980 it was observed that the proportional mortality ratio for 50 years of age and above, proposed by Swaroop & Uemura, did not provide the best discriminatory power between more and less developed countries in any of the years studied. In 1970 and 1980, the greatest discriminatory power was obtained by using the proportional mortality ratio for 75 years of age and above. The displacement of deaths to upper age groups over a certain period of time was better translated by variations in the 75 years and above than in the 50 years and above proportional mortality ratio. It is also useful to complement this information by computing the percentage of deaths at 65 years of age and above. It is suggested that the classes proposed by Swaroop & Uemura should be reformulated using new classes based on the proportional mortality ratio for 75 years and above, with the following limits: 0 | 20; 20 | 40; 40 | 50; 50 | 55 and 55 and above, with the possibility of subdividing the last group, if necessary, in the future.
Utilizando dados referentes a 34 países, em quatro épocas, 1950,1960, 1970 e 1980, foi verificado que a percentagem de óbitos com 50 anos e mais, que constitui a Razão de Mortalidade Proporcional, indicador de nível de saúde de populações proposta por Swarrop e Uemura, não proporcionou o maior poder de discriminação entre países mais e menos desenvolvidos, em qualquer das épocas; nas duas últimas, foi a percentagem de óbitos com 75 anos e mais que correspondeu esse maior poder. Verificou-se ainda que os deslocamentos de óbitos para faixas etárias mais elevadas, durante um determinado período, foram também mais bem traduzidas pelas variações no mesmo período, dessa percentagem, sendo útil a complementação dessas informações pelas variações da percentagem de óbitos com 65 anos e mais. E sugerida a conveniência de reformulação das classes propostas por Swaroop e Uemura, definindo-se outras baseadas na RMP dada por 75 anos e mais, com os seguintes limites: 0 | 20, 20 | 40, 40 | 50, 50 | 55 e 55 ou mais, com previsão de desdobramento futuro da última.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/216
ISSN: 0034-8910
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101987000200004
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0034-89101987000200004.pdf1.52 MBAdobe PDFView/Open
S0034-89101987000200004-pt.pdf1.52 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.