Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21412
Title: Escala de auto-estima Rosemberg/UNIFESP-EPM em funcionários da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí em Pouso Alegre
Other Titles: The Rosemberg/UNIFESP-EPM self-esteem scale of the Fundacao de Ensino Superior do Vale do Sapucai in Pouso Alegre-MG
Authors: Gragnani, Alfredo [UNIFESP]
Carvalho, Maria Inês Bustamante de [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: Autoimagem
Qualidade de Vida
Trabalhadores
Saúde Mental
Issue Date: 2006
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: CARVALHO, Maria Inês Bustamante de. Escala de Auto-Estima Rosenberg UNIFESP-EPM em Funcionários da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí em Pouso Alegre – MG. 2006. 71 f. Dissertação (Mestrado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2006.
Abstract: Introdução: A percepção da qualidade de vida é individual e diretamente associada ao contexto sócio-cultural onde o indivíduo está inserido. O auto-conceito e a auto-estima, bases da representação que o indivíduo tem de si, envolvem o bem estar individual e social. O conceito de auto-estima tem sido estudado e considerado um importante indicador de saúde mental. Objetivo: O objetivo deste estudo é avaliar a auto-estima de funcionários da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí em Pouso Alegre MG. Métodos: Estudo analítico transversal com 582 funcionários, homens e mulheres, maiores de 18 anos, sorteados por tabela de números aleatórios gerada pelo programa Epitable. Foi respondido um protocolo de dados demográficos e em seguida, a escala de auto-estima de Rosenberg UNIFESP-EPM foi aplicada para avaliar a auto-estima. Os testes de Mann Whitney e o teste Kruskal-Wallis foram utilizados na análise estatística. Resultados: Dos 582 sujeitos estudados, o maior escore de auto-estima foi 21, sendo que 98 sujeitos (16,8 por cento) obtiveram escore zero e 90 por cento da população estudada teve escores menores que 10. A média de escores do Rosenberg foi de 5,07 , com um intervalo de confiança (95 por cento) = 4,72 - 5,42; a mediana ficou em 4,0. Foi encontrada significância estatística relacionando auto-estima e gênero (p = 0,0113) o maior escore para homens foi de 13 e para mulheres foi 21. Conclusão: O nível de auto-estima encontrado na população estudada foi alto (90 por cento dos escores menores que 10), e a auto-estima dos homens foi significantemente mais elevada que das mulheres (p =0,0123).
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21412
Appears in Collections:Dissertação de mestrado

Files in This Item:
File SizeFormat 
Tese-10039.pdf338.65 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.