Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20908
Title: Desencadeamento de hiperinsuflação pulmonar dinâmica medida pela capacidade inspiratória durante a realização de teste incremental para membros superiores e inferiores em pacientes com DPOC
Other Titles: Triggering of dynamic pulmonary hyperinsuflation by means of inspiratory capacity during incremental test for upper and lower limbs in patients with COPD
Authors: Jardim, José Roberto [UNIFESP]
Porto, Elias Ferreira [UNIFESP]
Keywords: Doença pulmonar obstrutiva crônica
Reabilitação
Dispneia
Issue Date: 2005
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: São Paulo: [s.n.], 2005. 91 p.
Abstract: Introdução; A doença pulmonar obstrutiva crônica está relacionada à redução da tolerância ao exercício, sendo a sensação de dispnéia o principal fator que leva à limitação. Vários estudos têm correlacionado a dispnéia com a hiperinsuflação pulmonar dinâmica que pode ocorrer em indivíduos com doenças obstrutivas do fluxo aéreo ao realizarem atividades físicas com os membros inferiores. No entanto não existem estudos que avaliam a HD após realização de exercícios com MMSS. Objetivo; Quantificar a hiperinsuflação pulmonar dinâmica em indivíduos com DPOC após realizarem atividades físicas com membros superiores e inferiores. Verificar se o uso de medicação broncodilatadora é capaz de evitar o surgimento de hiperinsuflação. Material e métodos; A capacidade inspiratória foi avaliada em 16 indivíduos com DPOC moderado a grave (VEF1 13 a 55 por cento do previsto), com capacidade inspiratória de 76,4 por cento do previsto, antes e após a realização de exercício com os membros superiores com movimentos em diagonal sem e com broncodilatador. Também foi analisada a capacidade inspiratória pós-exercício com MMII. Resultados; A perda da capacidade inspiratória foi maior nas atividades com MMSS 2222:.158 ml do que MMII 148 2:.161ml na mesma carga metabólica (p >0,05); houve aumento da capacidade inspiratória com uso de BD 220ml (0,0012); não ocorreu perda de capacidade inspiratória pós-exercício com MMSS pós o uso de BD (p > 0,05 ); 60 por cento dos pacientes hiperinsuflaram com a realização do exercício de MMSS, estes apresentavam menor VEF1/CVF (0,0067) VEF1 (0,0091), CI por cento previsto (0,043), e maior V02/ml/Kg/min (0,050), freqüência respiratória (0,023) e ventilação pulmonar (0,009) em relação ao que não hiperinsuflaram. Houve correlação r = 0,82 entre o delta da ventilação pulmonar e o delta da capacidade inspiratória. O não uso de BD previamente ao realizar atividade física aumenta o risco para hiperinsuflação 5,0 (IC 1,09 a 22,8). Conclusão; Ocorre hiperinsuflação em indivíduos com DPOC após realizarem atividade física com os MMSS, O uso de broncodilatador beta agonista diminui a hiperinsuflação estática e protege da hiperinsuflação pulmonar dinâmica, Os pacientes mais propensos a hiperinsuflarem durante a realização de exercícios com os membros superiores e inferiores são: os com maior grau de obstrução e menor capacidade inspiratória,.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20908
Appears in Collections:Em verificação - Dissertações e teses

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.