Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18924
Title: Aspectos emocionais de crianças com e sem constipação crônica
Other Titles: Emotional aspects in children with or without chronic constipation
Authors: Morais, Mauro Batista de [UNIFESP]
Lisboa, Valéria Cristina Antunes [UNIFESP]
Keywords: Criança
Constipação intestinal
Psicanálise
Pediatria
Equipe de assistência ao paciente
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: São Paulo: [s.n.], 2004. 118 p.
Abstract: Objetivo: comparar aspectos emocionais de criancas com e sem constipacao cronica. Metodologia: Foram estudadas 14 criancas com constipacao cronica funcional e 14 com habito intestinal normal, para comparar os aspectos emocionais presentes nos dois grupos. Tais aspectos foram coletados a partir de uma entrevista semi-dirigida com as maes e o relato de uma historia a partir de uma prancha do Teste de Apercepcao Tematica Infantil - Figuras Humanas (C.A.T.-H) com as criancas. A partir das entrevistas e dos relatos observou-se a percepcao das maes sobre alguns aspectos emocionais das criancas, aspectos relacionados a dinamica familiar e a percepcao da crianca em relacao aos pais. Resultados: Em relacao ao discurso da mae observou-se diferenca sobre: 1.) o estado de Saúde geral da crianca, em que a proporcao de criancas com constipacao consideradas como,0 nao sendo saudaveis (80,0 por cento) foi estatisticamente superior (p= 0,002) em relacao ao grupo controle (9,1 por cento); 2.) a intolerancia a frustracao nas criancas foi estatisticamente mais frequente (p=0,0007) nas criancas com constipacao (83,3 por cento) do que naquelas com habito intestinal normal (7,7 por cento); 3.) a presenca de fracasso escolar nas criancas foi estatisticamente superior (p = 0,0002) no grupo de criancas constipadas (72,7 por cento) do que no grupo de criancas com habito intestinal normal (0,0 por cento); 4.) a alteracao e/ou de mudanca de comportamento foi maior (p = 0,0002) no grupo de constipados (85,7 por cento) em relacao ao grupo com habito intestinal normal (7,7 por cento); 5.) a existencia de agressividade nas criancas, esteve presente com maior frequencia (p = 0,03) no grupo de constipados (69,2 por cento) do que no grupo com habito intestinal normal (21,4 por cento); 6.) criancas com habito intestinal normal sao percebidas em maior numero como amadas e/ou desejadas (78,6 por cento) em relacao ao grupo com constipacao (0,0 por cento), mostrando uma diferenca estatistica significante (p = 0,0002); 7.) a imagem da crianca rebelde e que se nega a colaborar com os adultos, esteve mais presente (p < 0,001) no grupo com constipacao (83,3 por cento) que no grupo controle (7,7 por cento); 8.) a angustia da mae em relacao a doenca e/ou ao comportamento da crianca mostra uma diferenca estatistica entre os grupos (p = 0,001), ocorrendo uma maior incidencia no grupo dos constipados (91,6 por cento) que no grupo com habito intestinal normal (21,4 por cento); 9.) aspectos depressivos nos discursos das maes mostrou-se estatisticamente significante (p = 0,0001), sendo mais frequente no grupo de constipados (90,0 por cento) do que no grupo com habito intestinal normal (7,7 por cento). Em relacao ao ambiente familiar, segundo a informacaoa(au)
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18924
Appears in Collections:Em verificação - Dissertações e teses

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.