Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16965
Title: Achados histológicos, respostas ao tratamento inicial e sobrevida na fibrose pulmonar idiopática
Other Titles: Findings histological, initeal response to treatment and survival in idiopathic pulmonary fibrosis
Authors: Stávale, João Norberto [UNIFESP]
Coletta, Ester Nei Aparecida Martins [UNIFESP]
Keywords: Fibrose Pulmonar
Doenças Pulmonares Intersticiais
Issue Date: 2000
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: São Paulo: [s.n.], 2000. 132 p. ilustabgraf.
Abstract: A fibrose pulmonar idiopatica foi recentemente redefinida como uma pneumonia intersticial usual de etiologia desconhecida. O valor prognostico dos achados histologicos devem ser reavaliados. A proposta deste estudo e correlacionar achados clinicos, funcionais e histologicos em 50 pacientes portadores de fibrose pulmonar idiopatica, com resposta inicial ao tratamento corticoide e sobrevida. Tempo de historia, CVF, idade, sexo e habito de fumar foram documentados. Avaliacao histologica foi realizada em 49 biopsias pulmonares cirurgicas e em um caso de autopsia. Todos os pacientes apresentavam quadro de PRJ na histologia. Grau de fibrose, descamacao, celularidade e tecido de granulacao (focos fibroblasticos) foram graduados por metodo semi - quantitativo (CHERNIACK et al., 1991). A idade media foi de 62 anos, 24 eram do sexo feminino e 26 do sexo masculino. A mediana do tempo de sintomas foi de 7,5 meses e a CVF inicial foi de 74 n 23 por cento. Vinte e oito eram fumantes ou ex fumantes. Resposta ao tratamento foi avaliada por mudanca de O,2 litros e IO por cento na CVF apos 6 a 12 meses em relacao a CVF inicial. A sobrevida foi avaliada pelo metodo de Kaplan - Meyer. Quarenta e sete pacientes foram tratados e 23 permaneceram estaveis ou melhoraram e 24 pioraram. A resposta ao tratamento correlacionou-se inversamente com o grau de fibrose (p = O,02) e diretamente com a O,07). O tempo de sobrevida se relacionou com resposta ao O,04) e com o grau de fibrose (p = O,004) mas nao com a O,36), descamacao (p = O,64) e tecido de granulacao (p = O,48). Maior grau de fibrose se relacionou com ausencia de resposta ao tratamento e menor sobrevida
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16965
Appears in Collections:Em verificação - Dissertações e teses

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.