Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/134
Title: Convulsions in childhood: electroencephalographs aspects
Other Titles: Convulsões na infância: aspectos eletrencefalográficos
Authors: Pupo, Paulo Pinto [UNIFESP]
Reis Filho, Isnard [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Issue Date: 1-Mar-1967
Publisher: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Citation: Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 25, n. 1, p. 17-24, 1967.
Abstract: The electroencephalographic records of 700 children, up to 6 years old, with a history of only convulsions without other clinical manifestations are analysed. The EEG findings in patients with febrileand non febrile convulsions,in waking and sleeping state and according to their age (0-2 and 3-6 years old), were compared statistically. From this study three main conclusions can be drawn: 1) there is a significant percentage of cerebral abnormalities among the children with isolated convulsions; 2) there is a significantly higher incidence of focal abnormalities in patients with non febrile convulsionsthan in those with febrile convulsions,suggesting that convulsions in each group may correspond to different cerebral conditions; 3) in the electroencephalographic study of these children with convulsions one must take into account the state of the patient during the recording (awake or asleep). It would be an error to consider results as they were of a homogeneous group.
São analisados os resultados eletrencefalográficos de 700 crianças, com idade de 0 a 6 anos, que apresentaram convulsões isoladas, sem história ou manifestações clínicas de qualquer outra moléstia. Os resultados nos subgrupos de pacientes com convulsões febrise não febrissão analisados separadamente sob o ponto de vista estatístico, assim como nos subgrupos de 0-2 e 3-6 anos de idade. Análise similar foi feita nos subgrupos de pacientes examinados somente durante o sono ou em sono e em vigília, com finalidade de testar o fator técnico do exame. Deste estudo podem ser tiradas três conclusões principais: 1) nas crianças com convulsões isoladas aparecem sinais eletrencefalográficos que permitem diagnóstico da existência de lesão cerebral em uma incidência estatisticamente significante; 2) a incidência de lesões cerebrais focais nos casos de convulsões não febrisé também significativamente maior que nos casos de convulsões febris, oque sugere que as convulsões nesses grupos de pacientes dependem de condições cerebrais diferentes; 3) no estudo eletrencefalográfico das crianças com convulsões, deve ser tomado em consi- deração se o exame foi feito somente durante o sono ou se também em vigília, pois tais resultados não podem ser considerados em conjunto, sob pena de se incorrer em erro grosseiro.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/134
ISSN: 0004-282X
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1967000100002
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0004-282X1967000100002.pdf801.17 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.