Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/13029
Title: Avaliação do estado nutricional de idosos a partir da utilização da medida do comprimento da perna knee height como método preditor da estatura
Authors: Ramos, Luiz Roberto [UNIFESP]
Najas, Myrian Spinola [UNIFESP]
Keywords: Idoso
Avaliação Nutricional
Antropometria
Issue Date: 1995
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: São Paulo: [s.n.], 1995. 110 f.
Abstract: Com o de comparar as prevalências de eutrofia, obesidade e desnutrição, utilizando duas formas de cálculo do IMC, sendo uma com base na estatura aferida em antrop6metro e a outra com a estatura predita a partir da medida do comprimento da perna, estudaram-se 696 idosos residentes na área de abrangência do Centro de Estudos do Envelhecimento, pertencente a UNEFESP. Na determinação das equações estatísticas, que pudessem predizer a estatura a partir do comprimento da perna, empregaram-se os dados de uma amostra de 224 adultos jovens com idade variando entre 20 - 29 anos, usuários da rede básica de saúde e alunos da UNIFESP e, aplicou-se a técnica de análise de regressão, controlando-se o sexo, a cor, e o nível de escolaridade. Na caracterização do estado nutricional, fez-se uso do índice de massa corpórea (IMC), com os pontos de corte recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1990, e com a classifição de obesidade recomendada por Garrow e Webster em 1985. Os resultados demonstraram uma alta correlação entre a estatura aferida em antrop6metro e a calculada pelo comprimento da perna na amostra de adultos jovens. Quanto aos idosos, constatou-se que, independentemente do sexo, as médias de estatura preditas foram sempre superiores àquelas aferidas em antrop6metro e, conseqüentemente, o IMC calculado corn as referidas estaturas revelou-se com médias inferiores em todas as faixas etárias. As diferenças, tanto de estatura quanto de IMC, foram estatisticamente significantes. Desta forma, conclui-se que, quando se corrige a estatura da população idosa, não s6 ocorre um aumento nas prevalências de desnutrição e eutrofia, mas ainda uma redução na obesidade de graus I e II, sendo mais acentuada no grau II.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/13029
Appears in Collections:Em verificação - Dissertações e teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese-2193.pdf7.65 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.