Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1142
Title: Níveis séricos de hormônio de crescimento, fator de crescimento símile à insulina e sulfato de deidroepiandrosterona em idosos residentes na comunidade. Correlação com parâmetros clínicos
Authors: Huayllas, Martha K.p. [UNIFESP]
Carvalhaes Neto, Nelson [UNIFESP]
Ramos, Luiz Roberto [UNIFESP]
Kater, Claudio Elias [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: Growth hormone
IGF-1
Dehydroepiandrosterone sulfate
Aging
Hormônio de crescimento
IGF-1
Sulfato de deidroepiandrosterona
Envelhecimento
Issue Date: 1-Apr-2001
Publisher: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Citation: Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, v. 45, n. 2, p. 157-166, 2001.
Abstract: Aging is associated with body changes, especially related with the endocrine system. The activity of the GH/IGF-1 axis and production of DHEAS decline significantly with aging, compromising body composition, cardiovascular and cognitive functions. We studied 225 elderly subjects from a community cohort (148 women and 77 men, 70 to 91 years) 80% of whom being considered successful (Mini-mental> or = 24 and AVL <=3). We measured basal serum levels of GH, IGF-1 and DHEAS and their possible correlations. Both, BMI and blood pressure levels were significantly higher in women. GH levels were also higher in women (1.6±1.7 vs. 1.0±1.3ng/ml, X±SD, p<0.001), and above the normal range in 14% and 19% of women and men. IGF-1 levels were similar (90±42 and 101±40ng/ml, NS), and were not elevated but low in 35% and 24%, respectively. On the other hand, DHEAS levels were higher in men (86±58 and 54±36µg/dl, p<0.001), but still within normal range in 92% of them. An unexpectedly positive correlation was found between age and basal GH levels in men (r= 0.38, p<0.005), whereas IGF-1 and age correlated negatively in both (r= -0.24 and r= -0.32). In women, DHEAS and IGF-1 correlated positively (r= 0.27). In conclusion, basal GH levels can be found elevated in elderly people and higher in women, whereas IGF-1 levels are normal to low in both groups, suggesting partial hormonal resistance. DHEAS levels were in the low-normal range and higher in men, disclosing the lack of ovarian contribution in women. Furthermore, no correlation was found between DHEAS levels and the clinical parameters studied.
O envelhecimento é acompanhado de alterações orgânicas possivelmente relacionadas com o sistema endócrino. O eixo GH/IGF-1 e a produção de SDHEA declinam com a idade, caracterizando uma redução de suas atividades, que podem resultar em efeitos deletérios sobre a composição corporal, o sistema cardiovascular e a cognição. Avaliamos a concentração sérica basal de GH, IGF-1 e SDHEA em 225 idosos de uma comunidade (148 mulheres e 77 homens, 70 a 91 anos), 80% deles com características de envelhecimento bem sucedido (Mini-mental> ou = 24 e comprometimento de atividades de vida diária <=3). Tanto o IMC como a pressão arterial estavam significativamente mais elevados nas mulheres. Os níveis de GH também eram maiores nas mulheres (1,6±1,7 vs. 1,0±1,3ng/ml, X±DP, p<0,001), estando acima da faixa de referência em 14% e 19% das mulheres e homens. Já os níveis de IGF-1 eram semelhantes (90±42 e 101±40ng/ml, NS), não sendo elevados em nenhum deles e reduzidos em 35% e 24%, respectivamente. Os níveis de SDHEA eram maiores nos homens (86±58 e 54±36µg/dl, p<0,001), porém na faixa de referência em 92% deles. Houve uma surpreendente correlação positiva entre idade e GH nos homens (r= 0,38, p<0,005), mas uma correlação negativa entre IGF-1 e idade nos dois grupos (r= -0,24 e r= -0,32). Nas mulheres, houve também uma correlação positiva entre SDHEA e IGF-1 (r= 0,27). Em conclusão, níveis basais de GH podem estar elevados em uma parcela significativa dos idosos, sendo maiores nas mulheres, enquanto os níveis de IGF-1 encontram-se normais ou baixos nos dois grupos, sugerindo quadro de resistência hormonal. Os níveis de SDHEA encontravam-se na faixa de referência, sendo maiores nos homens, caracterizando a perda da contribuição ovariana. Diferentemente do que se tem especulado, não encontramos correlação entre os níveis de SDHEA e qualquer parâmetro clínico investigado.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1142
ISSN: 0004-2730
Other Identifiers: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302001000200007
Appears in Collections:Artigo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0004-27302001000200007.pdf146.37 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.