Quantificação do mRNA BNP Miocárdico em Ratas Submetidas à Isquemia/Reperfusão na Ausência de Distensão Ventricular

Quantificação do mRNA BNP Miocárdico em Ratas Submetidas à Isquemia/Reperfusão na Ausência de Distensão Ventricular

Título alternativo Quantification of myocardial BNP mRNA in rats submi tted to ischemia/reperfusionin in the absence of ventricular distension.
Autor Ramos, Lafayete William Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Carvalho, Antonio Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Aims. To determine whether a relation exists between ischemia/reperfusion and myocardial BNP mRNA expression independent of variations in intracavitary diastolic volume and consequently, of cardiomyocyte stretching. Methods. Twenty-three rats were subjected to the following conditions: control (C), 15 minutes of ischemia (I15), or ischemia plus 15 (R15), 30 (R30) or 45 (R45) min of reperfusion in the in situ hearts. Isolated hearts of sixteen additional rats (sham, n=8; occlusion, n=8) were perfused for studies in the absence of ventricular distension. All hearts were divided in two segments (ischemic and non-ischemic). Ventricular distension was avoided by excluding the atria and mitral valves. In both experiments, BNP mRNA was quantified by real-time PCR in both non-ischemic and ischemic regions. Results. In the in situ hearts, myocardial BNP mRNA values at R15 (4.24±0.75) in the ischemic region were higher than in other groups (C: 1.43±0.81, p=0.044; I15: 3.05±0.62, p=0.048; R30: 0.76±0.84, p=0.001; R45: 1.47±0.60, p=0.046, [ANOVA]). In isolated hearts without ventricular distension, myocardial BNP mRNA (arbitrary units) content at R15 in ischemic regions (4.54±0.26) was greater than in nonischemic regions in both occlusion (3.51±0.20, p<0.001) and sham (3.38±0.25, p=0.0001 and 3.47±0.19, p=0.0001) groups. Conclusion. The present data show that ischemia/reperfusion is responsible for increased BNP mRNA myocardial content independent of changes of ventricular cavity diastolic volume.

Objetivo. Existem evidências de que o aumento do teor do mRNA BNP miocárdico ou do BNP plasmático está associado à isquemia miocárdica, porém a relação entre isquemia aguda seguida de reperfusão e o comportamento do mRNA BNP miocárdico não está ainda bem esclarecida. O objetivo desse estudo foi determinar se existe relação entre isquemia/reperfusão e elevação do teor miocárdico do mRNA BNP independentemente da variação do volume diastólico intraventricular e consequentemente da distensão do cardiomiócito. Métodos. Para definir o time-course da expressão do mRNA BNP após isquemia/reperfusão, 23 ratas foram submetidas às seguintes condições: controle (C), 15 minutos de isquemia (I15), ou isquemia seguida de 15 (R15), 30 (R30) ou 45 (R45) minutos de reperfusão em corações in situ. Corações isolados utilizando a preparação de Langendorff de 16 ratas adicionais (oclusão, n=8; sham n=8) foram perfundidos com solução de Krebs-Henseleit na ausência de distensão ventricular. Todos os corações foram divididos em dois fragmentos (isquêmico e não isquêmico). A distensão ventricular foi evitada pela exclusão dos átrios e da valva mitral. Nos dois experimentos, o mRNA BNP foi quantificado por RT-PCR em tempo real nos fragmentos miocárdicos supracitados. Resultados. Nos corações in situ o valor do mRNA BNP em R15 (4.24 ± 0.75) na região isquêmica foi maior do que nos outros grupos (C:1.43 ± 0.81, p=0.044; I15: 3.05 ± 0.62, p=0.048; R30:0.76 ± 0.84, p=0.001; R45:1.47 ± 0.60, p=0.046, [ANOVA]). Nos corações isolados, sem distensão ventricular o teor do mRNA BNP miocárdico (unidades arbitrárias) em R15 nas regiões isquêmicas (4.54 ± 0.26) foi maior do que nas regiões não isquêmicas do grupo oclusão (3.51 ± 0.20, p<0.001) e sham (3.38±0.25, p<0.0001 e 3.47±0.19, p=0.0001). Conclusão. Os resultados mostram que isquemia/reperfusão é responsável pelo aumento do teor do mRNA BNP miocárdico independente de distensão da parede ventricular.
Palavra-chave B-type natriuretic peptide
Coronary artery disease
Rats
Isquemia
Peptídeo natriurético tipo B
Doença da artéria coronariana
Ratas
Ischemia
Reperfusão
Reperfusion
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-24
Publicado em RAMOS, Lafayete William Ferreira. Quantificação do mRNA BNP Miocárdico em Ratas Submetidas à Isquemia/Reperfusão na Ausência de Distensão Ventricular. 2009. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9999

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-144.pdf
Tamanho: 901.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta