Processamento temporal e resposta auditiva de média latência em idosos candidatos e usuários de prótese auditiva

Processamento temporal e resposta auditiva de média latência em idosos candidatos e usuários de prótese auditiva

Título alternativo Temporal processing and middle latency auditory response in elderly candidates and hearing aid users
Autor Pinheiro, Maria Madalena Canina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pereira, Liliane Desgualdo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Introduction: Aging can cause alterations in temporal processing and cognitive functions. Electrophysiological evaluation has been widely recommended to complement the behavioral evaluation of auditory processing. Objective: Verify and compare the behavioral auditory responses of temporal processing and the auditory middle latency response with cognitive processing in elderly candidates for and users of hearing aids. Methods: Sixty elderly people participated in the study, 20 males and 40 females, ranging in age from 61 to 85 (avg. 71.7) who are attended at the Integrated Hearing Assistance, Research and Education Center (NIAPEA) of the Federal University at São Paulo, and who are all new users of hearing aids. The individuals were organized in two groups according to their degree of hearing loss, considering frequencies of 500- 4000 Hz on the audiogram, denominated Group I (GI) and Group II (GII). In GI, the individuals had a degree of hearing loss lower than 50 dB and in GII above 50 dB. The cognitive factors were evaluated by means of long-latency auditory evoked potential tests– P300, Mini mental state examination (MMSE) and the Alzheimer Disease Assessment Scale (ADAS-COG). The procedures selected to achieve the objectives were the Middle Latency Auditory Evoked Potentials (MLAEP) tests, which studied the latency of the Na and Pa waves in milliseconds, and the amplitude of Na-Pa (μv). When an auditory and or electrode effect was present, the exam was considered altered. The Duration Pattern Tests (TPD) and Gap in Noise (GIN) test were used to analyze the responses of correct identification, and the gap detection threshold. Results: Elderly people who use hearing aids display a lower gap detection threshold, greater recognition of gaps and of discrimination of the duration pattern, lower latency and decrease in MLAEP in relation to the time when they were candidates. When they displayed deficits in information processing in auditory cortex, they displayed losses in the temporal resolution ability, which became worse in the presence of cognitive alteration. Conclusion: The temporal ordering and temporal resolution abilities deteriorated independent of the degree of hearing loss, revealing the age effect. The responses to Middle Latency Auditory Evoked Potentials tests were not influenced by the degree of hearing loss and significant changes in reassessment occurred after acclimatization. Thus, the effect of acoustic stimulation by the use of a hearing aid improved the hearing ability of temporal ordering, temporal resolution and the processing of information from the Central Auditory Nervous System to the primary auditory cortex. The behavior of temporal ordering did not change in the elderly with cognitive alterations; however, individuals without cognitive alterations had lower deficits in the functional integrity of the primary hearing areas and improvement in the behavior of temporal resolution.

Introdução: O envelhecimento pode ocasionar alterações no processamento temporal e nas funções cognitivas. A avaliação eletrofisiológica tem sido recomendada para complementar a avaliação comportamental do processamento auditivo. Objetivo: Verificar e comparar as respostas auditivas comportamentais de processamento temporal e resposta de média latência com o processamento cognitivo em idosos, candidatos e novos usuários de próteses auditivas. Métodos: Participaram do estudo 60 idosos, sendo 20 sexo masculino e 40 sexo feminino, cuja faixa etária era 61 a 85 anos (média 71,7 anos), atendidos no Núcleo Integrado de Assistência, Pesquisa e Ensino da Audição (NIAPEA) da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, todos novos usuários de prótese auditiva. Os indivíduos foram reunidos em dois grupos segundo o grau da perda auditiva, ao considerar as frequências de 500 a 4000 Hz do audiograma, denominados de Grupo I (GI) e Grupo II (GII). No GI os indivíduos apresentavam grau de perda auditiva inferior ou igual a 50 dB, e no GII, superior ou igual a 51 dB. Os aspectos cognitivos foram avaliados por meio do Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência – P300, Mini-Exame do Estado Mental (MEEM) e Escala de Avaliação da Doença de Alzheimer (ADAS-COG). Os procedimentos selecionados para contemplar os objetivos foram o Potencial Evocado Auditivo de Média Latência (PEAML), no qual foi estudada a latência das ondas Na e Pa (milissegundos), amplitude do complexo Na-Pa (microvolts) e quando ocorreu a presença de efeito auditivo e/ou eletrodo o exame foi considerado alterado. Ainda, foram aplicados o Teste Padrão de Duração (TPD) e Teste de Detecção de Gap no Ruído (GIN) no qual foram analisadas as respostas de identificação correta, e o limar de acuidade temporal. Resultados: Os idosos usuários de prótese auditiva apresentaram menor limiar de acuidade temporal, maior reconhecimento de gaps e de discriminação do padrão de duração, menor latência e diminuição das alterações do PEAML em relação ao momento em que eram candidatos. Quando mostravam déficits no processamento da informação em área auditiva primária, apresentaram prejuízo na habilidade auditiva de resolução temporal, que piorava na presença de alteração cognitiva. Conclusão: Houve deterioração das habilidades de resolução e ordenação temporal, independente do grau da perda auditiva, mostrando o efeito- idade originado pelo envelhecimento. As respostas do Potencial Evocado de Média Latência também não foram influenciadas pelo grau da perda auditiva e ocorreu mudança significativa na reavaliação após a aclimatização. Assim, o efeito de estimulação acústica pelo uso de prótese auditiva melhorou a habilidade auditiva de ordenação temporal, resolução temporal e o processamento das informações do Sistema Nervoso Auditivo Central até o córtex temporal primário. O comportamento de ordenação temporal não se modificou nos idosos com alterações cognitivas, no entanto indivíduos sem alteração cognitiva têm menor déficit na integridade funcional das áreas auditivas primárias e melhora no comportamento de resolução temporal.
Palavra-chave Prótese auditiva
Idosos
Aged
Cochlear implants
Implantes cocleares
Idioma Português
Data de publicação 2011-02-22
Publicado em PINHEIRO, Maria Madalena Canina. Processamento temporal e resposta auditiva de média latência em idosos candidatos e usuários de prótese auditiva . 2011. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 275 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9978

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12463a.pdf
Tamanho: 562.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-12463b.pdf
Tamanho: 540.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-12463c.pdf
Tamanho: 1.814MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta