Prevalência de lactentes sibilantes e associação com fatores de risco na cidade de Maceió, Alagoas

Prevalência de lactentes sibilantes e associação com fatores de risco na cidade de Maceió, Alagoas

Título alternativo Prevalence of wheezing infants and association with risk factors in the city Maceió, Alagoas
Autor Medeiros, Mércia Lamenha Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Solé, Dirceu Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objectives: To determine the prevalence of wheezing and associated factors in infants the first year of life and associated risk factors. Methods: Cross-sectional study in 1183 infants, aged between 12 and 15 months, whose parents sought health units routinely in the city of Maceió. We used the EISL’s (Estudio Iternacional de Sibilancia en Lactentes) standardized questionnaire. The statistical analyses was used to demonstrate the prevalence of wheezing and associated risk factors. They were calculated by logistic regression. Results: Among 477 (40.4%) wheezing infants 225 (19.1%) were occasional (less than three episodes) and 252 (21.4%) recurrent (three or more episodes). Independent risk factors associated with wheezing in the fisrt year of life were: have had pneumonia that led to hospitalization (OR=3.29; IC95%:1.97-5.50; p=0.00), age at first upper respiratory infection before five month of age (OR=1.78; IC95%:1.35- 2.36; p=0.00), family history of asthma (OR=1.66; IC95%: 1.25-2.22; p=0.00), presence of moisture at home (OR=1.61;IC95%: 1.21-2.15; p=0.00) and air pollution (OR= 1.40; IC95%: 1.04-1.87; p=0.02). Protective factors identified were: to have less than four episodes of colds (OR=0.36; IC95%: 0.27-0.48; p=0.00), living with less than five people (OR=0.66; IC95%: 0.55-0.86; p=0.00) do not use processed foods (OR=0.55; IC95%: 0.35-0.88, p=0.01) and to have bathroom at home (OR=0.53; IC95%: 0.33-0.83, p=0.00). Conclusions: Wheezing starts early in life and has high morbidity. Genetic inheritance, environmental conditions and respiratory symptoms and their evolution in infants are highly influential. Early identify and adopt apprpriate therapeutic approaches can probably influence the prognosis and outcome.

Objetivos: Verificar a prevalência da sibilância em lactentes no primeiro ano de vida e os fatores a ela associados. Métodos: Estudo transversal com 1183 lactentes, com idades entre 12 e 15 meses, cujos pais procuraram as unidades básicas de saúde de Maceió para avaliação médica/vacinação de rotina. Foi utilizado o questionário padronizado do Estudio Internacional de Sibilância en Lactentes (EISL). As análises estatísticas descritivas foram utilizadas para demonstrar a prevalência e os fatores associados. A identificação dos fatores associados foi realizada por meio da regressão logística. Resultados: Entre os 477 (40,4%) lactentes sibilantes, 225 (19,1%) eram ocasionais (até três episódios) e 252 (21,4%) recorrentes (mais de três episódios). Foram fatores de risco independentes associados à sibilância no primeiro ano de vida: ter tido pneumonia que levou ao internamento (Odds ratio [OR]=3,29; Intervalo de confiança [IC] de 95%:1,97-5,50), idade do primeiro resfriado antes do quinto mês de vida (OR=1,78; IC95%:1,35-2,36), história familiar de asma (OR=1,66; IC95%:1,25-2,22), presença de umidade no domicílio (OR=1,61; IC95%:1,21-2,15) e poluição atmosférica (OR=1,40; IC95%:1,04-1,87). Fatores de proteção associados foram: ter tido menos de quatro episódios de resfriados (OR=0,36; IC95%:0,27-0,48), morar com menos de cinco pessoas (OR=0,66; IC95%:0,50–0,86), não usar alimentos industrializados (OR=0,55; IC95%:0,35-0,88) e ter banheiro no domicilio (OR=0,53; IC95%: 0,33-0,83). Conclusões: A sibilância nesses lactentes tem início precoce e elevada morbidade. Houve associação com herança genética, condições ambientais e manifestações respiratórias. Identificar precocemente e adotar condutas terapêuticas apropriadas provavelmente pode interferir no prognóstico e evolução da sibilância nesses lactentes.
Palavra-chave Asma/epidemiologia
Fatores de Risco
Lactente
Prevalência
Pré-Escolar
Recidiva
asthma prevalence
child
wheezing
Infant
Sons Respiratórios
Idioma Português
Data de publicação 2010-11-24
Publicado em MEDEIROS, Mercia Lamenha. Prevalência de lactentes sibilantes e associação com fatores de risco na cidade de Maceió, Alagoas. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9960

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-052a.pdf
Tamanho: 1.080MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-052b.pdf
Tamanho: 1.445MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-052c.pdf
Tamanho: 1.674MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-052d.pdf
Tamanho: 1.561MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta