Papel do treinamento em saúde auditiva na percepção de perda auditiva e proteção auditiva auto-declaradas por funcionários de indústrias sucroalcooleira de Alagoas

Papel do treinamento em saúde auditiva na percepção de perda auditiva e proteção auditiva auto-declaradas por funcionários de indústrias sucroalcooleira de Alagoas

Título alternativo Role of health training in the perception of hearing loss and hearing protection self-reported by officials in sugarcane industries Alagoas
Autor Brandão, Kristhine Keila Calheiros Paiva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pereira, Liliane Desgualdo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo the hearing loss and hearing protection for employees between two industries of the sugarcane branch, with and without participation in a program of conservation in hearing health. Methodology: 120 employees had participated of the study in the sugarcane industry A whom had received the specific training in hearing health and 87 employees from the sugarcane industry B, whom they had not received the same training. The questionnaire was used “Beliefs and attitudes on hearing protection and hearing loss”, elaborated for researchers of the NIOSH (1996), which was applied after the training in hearing health, that is one of the stages of the Program of Hearing Health - PCA, developed for the sugarcane industry A. For the sugarcane industry B, the questionnaire was applied in days marked with the sector of engineering in security of the work, not following, therefore, the sequence of the training in hearing health, however, this company not yet develops the PCA. The average age of the employees in the sugarcane industry A was of 31, 8 years and for sugarcane industry B was 30, 5 years. The average of years of study in the sugarcane industries A and B were of 10 years. Most of the employees both the industries had high risk of hearing loss for exposition to the loud noise above 85db, with interval of 0 the 10 years, as working in the same function for the majority of the employees in the two industries. However, an employee of the sugarcane industry A affirmed that He didn´t use any hearing protector. Results: Nevertheless, 10 thematic evaluated in the questionnaire, the best perception of susceptibilities was observed in the sugarcane industry A to acquire a hearing loss (p<0,001), perception of obstacles of an injunction when related to the comfort of the use of the hearing protector (p=0,022) and better perception of the auto-effectiveness related to the success front the actions recommended for protection of the hearing health (0,005), as well as for a total score(p=0,010) when compared sugarcane industry B that does not develop the PCA. Conclusion: Through this study it was found that the questionnaire "Beliefs and attitudes about hearing protection and hearing loss", allowed us to know the reality closer to employees about their hearing health knowledge that has demonstrated compliance with minimum standards regulating the Ministry of Labour. Comparing the results between plants with and without a hearing conservation program, it was concluded that the sugarcane mill, which implemented a PCA, since 2006, had a relation to thematic T1, T4 and T10 regarding: perceived susceptibility of acquiring a hearing loss, perceived barriers to preventive action, comfort, and self-efficacy.

Objetivo: verificar e comparar as crenças e atitudes frente à perda auditiva e proteção auditiva auto-declaradas por funcionários entre duas indústrias do ramo sucroalcooleiro, com e sem participação em um programa de conservação em saúde auditiva.Método: Participaram do estudo 120 funcionários da usina A que receberam o treinamento específico em saúde auditiva e 87 funcionários da usina B, que não receberam o mesmo treinamento. Foi utilizado o questionário “Crenças e atitudes sobre proteção auditiva e perda auditiva”, elaborado por pesquisadores do NIOSH (1996), o qual foi aplicado após o treinamento em saúde auditiva, que é uma das etapas do Programa de Saúde Auditiva - PCA, desenvolvido pela usina A. Para a usina B, o questionário foi aplicado em dias marcados com o setor de engenharia de segurança do trabalho, não seguindo, portanto a seqüência do treinamento em saúde auditiva, uma vez que esta empresa ainda não desenvolve o PCA. A idade média dos funcionários da usina A foi de 31,8 anos e para usina B 30,5 anos. O tempo de exposição médio a ruído dos voluntários da usina A e B foi de 10 anos. A maior parte dos funcionários de ambas as usinas trabalhavam expostos a ruído superior a 85 dBA, com até 10 anos de tempo de exercício. Resultados: Das 10 temáticas avaliadas no questionário destacam-se três: a melhor percepção de susceptibilidade de adquirir uma perda auditiva (p<0,001), melhor percepção de obstáculos de uma ação preventiva quando relacionado ao conforto do uso do protetor auditivo (p=0,022) e melhor percepção da auto-eficácia relacionada ao sucesso frente as ações recomendadas para proteção da saúde auditiva(0,005) observadas na Usina A quando comparadas a usina B. Apenas um funcionário da usina A afirmou não fazer uso de protetor auricular. O escore total das respostas ao questionário da usina A foi maior (p= 0,010) e estatisticamente significantes , em relação aquele da usina B. Conclusão: Através do presente estudo, verificou-se que a aplicação do questionário “Crenças e atitudes sobre a proteção auditiva e perda auditiva”, nos permitiu conhecer a realidade mais próxima dos funcionários quanto ao seu conhecimento sobre a saúde auditiva que demonstrou o cumprimento mínimo das normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho. Ao se comparar os resultados entre as usinas com e sem programa de conservação auditiva, foi possível concluir que a usina sucroalcooleira A, que implementou um PCA, desde 2006, apresentou melhor percepção com diferença estatística significante, comparada à usina B em relação às temáticas T1,T4 e T10 referentes à: percepção de susceptibilidade de adquirir uma perda auditiva, percepção de obstáculos para uma ação preventiva:conforto; e auto-eficácia.
Palavra-chave Audição
Hearing Protection
Ruído ocupacional
Saúde do trabalhador
Training Hearing Health
Perception of Hearing Loss
Perda auditiva
Idioma Português
Data de publicação 2011-01-26
Publicado em BRANDÃO, Kristhine Keila Calheiros Paiva. Papel do treinamento em saúde auditiva na percepção de perda auditiva e proteção auditiva auto-declaradas por funcionários de indústrias sucroalcooleira de Alagoas. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9901

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-470.pdf
Tamanho: 1.045MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta