Opinião, conhecimento e atitudes de adolescentes sobre a sexualidade: uma contribuição para professores, médicos e enfermeiros

Opinião, conhecimento e atitudes de adolescentes sobre a sexualidade: uma contribuição para professores, médicos e enfermeiros

Autor Romão, Mirtes Salantier Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Vitalle, Maria Sylvia de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objetivo: verificar os conhecimentos e atitudes de adolescentes estudantes frente à contracepção, principalmente a de emergência, como e com quem foram adquiridos e sua opinião sobre como médicos, enfermeiros e professores podem melhor contribuir para sua orientação sexual. Método: de agosto a novembro de 2010, foram aplicados questionários em sala de aula, da EMPG Gen. Newton Reis. Utilizou-se questionário semi-estruturado, autopreenchível, anônimo, contendo perguntas gerais sobre sexualidade, métodos contraceptivos, gravidez, doenças sexualmente transmissíveis, dúvidas quanto às transformações corporais e de como professores, enfermeiros e médicos podem auxiliar os adolescentes escolares a sanar suas dúvidas. Consistiu em pesquisa de caráter observacional, descritiva, quanti-qualitativa, corte transversal, prospectivo cuja técnica de investigação foi perguntas fechadas (quantitativas) e abertas - sob a forma de testemunho (qualitativas). Resultados: Dos 196 alunos matriculados de 5ª a 8ª séries 176 alunos presentes na ocasião da aplicação do questionário, 107 apresentaram a autorização (TCLE e TA). O percentual dos adolescentes do sexo feminino prevalece (62%). A idade média é de 13 anos entre os estudantes de 5ª. a 8ª. série do ensino fundamental. A maior parte dos adolescentes estudantes ainda não teve a primeira relação sexual (63% - masculino/ 86% - feminino). A menarca apareceu na idade média de 11 anos (27%). Os adolescentes estudantes não passam por consulta médica periódica (61% - masculino /58% - feminino). Conclusões: O método contraceptivo mais conhecido pelos adolescentes do sexo masculino e do sexo feminino é a camisinha masculina, conhecida, também, como condom. Sendo que a principal fonte de informação para o seu conhecimento dos métodos contraceptivos difere entre os grupos. Para o grupo masculino a principal fonte são os amigos e a escola; e para o grupo feminino são o professor e a família. Referente à opinião do adolescente escolar de como médicos, enfermeiros e professores podem contribuir para a sua orientação sexual. Segundo o seu ponto de vista, o professor não está preparado para abordar a temática de sexualidade em sala de aula simplesmente pelo fato de não serem técnicos da área.
Palavra-chave Adolescente
Docentes
Enfermagem
Nursing
Sexualidade
Sexuality
Teachers
Teenagers
Papel do médico
Role of the doctor
Idioma Português
Data de publicação 2011-09-14
Publicado em ROMÃO, Mirtes Salantier. Opinião, conhecimento e atitudes de adolescentes sobre a sexualidade: uma contribuição para professores, médicos e enfermeiros. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9885

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-MirtesSalantierRomaop.pdf
Tamanho: 764.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta