O Pronto-Socorro do Hospital São Paulo: entre o ensino e a assistência

O Pronto-Socorro do Hospital São Paulo: entre o ensino e a assistência

Título alternativo The Hospital São Paulo Emergency Room: between education and health care
Autor Fernandes, Flávia Saraiva Leão Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bretas, Ana Cristina Passarella Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo This qualitative study aims to understand the dynamics and role of the Hospital São Paulo (HSP) Emergency Room (ER) within the organization of The Unified Health System (Sistema Único de Saúde – SUS) from the point of view of three mid-level managers of the ER. The qualitative case study method was used, by way of the interview technique with the three mid-level managers from the Hospital São Paulo Emergency Room. Hospital São Paulo is the Teaching Hospital of the Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) and is considered a Reference Unit in Hospital Care for Urgency and Emergency III. The narratives were systematized into six themes: (1) Health and education equipment: implications for health work. (2) In search of integrality: spontaneous health demand. (3) Motivations for spontaneous demand: cultural aspects. (4) Motivations for spontaneous demand: macrostructural aspects. (5) Standardized role: the referenced demand. (6) Overcoming obstacles: intervention proposals. The medical speciality tradition with emphasis on scientific development of Hospital São Paulo influences the health care in its Emergency Room. Access to the hospital wards and the Unifesp outpatient complex has an academic profile, so as to select the more complex and “interesting” cases from a scientific point of view. Moreover, health care in the ER follows the Flexner biomedical health and teaching model, which emphasizes (stresses) the hard and light-hard technologies and undervalues the relational field of light technologies in health care. The concentration of knowledge, specialities, and high complexity exams makes HSP attractive to the population, a fact that influences its ER which operates in an “open door” system. The highly spontaneous demand of the HSP ER has both cultural and macrostructural explanations. As far as the cultural aspects, it is possible to see the urgency and belief of the population that the hospital is the main responsible institution for health care. They have expectations for the health system as far as physician consultations and drug prescriptions, and have little knowledge of the SUS principles: hierarchy, regionalization, community participation, among others. The macrostructural factors are related to difficulties in access to Primary Health Care and mid-level complexity care, low solvability of the Basic Health Units (Unidades Básicas de Saúde – UBS), and the lack of integrality of the health system. The HSP ER has a standardized role inside the SUS in the city of São Paulo that is to service a referenced demand. It integrates the State Reference Hospital System in Urgent Care and Emergencies and provides health care to patients that already had first aid in other health services that do not have diagnosis, therapy support and/or a specialized team for the continuity of the urgent health care. The interviewees pointed out some intervention proposals for the improvement of the HSP ER patient flow so that only urgent care patients are attended to and prevents an overflow of patients in the ER. They suggest mechanisms for decreasing the number of low complexity patients (Assistance with Risk Classification and Outpatient Medical Care) and for improvements in the Urgency and Emergency Regulation through strengthening the reference and counter-reference system. It is possible to see, however, that the intervention proposals are limited to internal Hospital problems and do not fully take into consideration the rest of the health care system. The current context of the HSP ER exposes contradictions and conflicts. The existing tensions manifest themselves at a micro level, in the difference of health care models between education needs and user needs, as well as a macro level, as it relates to the management of integrated delivery networks throughout a university that does not recognize itself as part of the health system. This study had the intention to unveil existing processes in the Hospital São Paulo Emergency Room. It opens possibilities for other studies and it can help the HSP management, bringing clues and subsidies for new interventions.

Este estudo qualitativo teve como objetivo compreender a dinâmica e o papel do Pronto-socorro do Hospital São Paulo na organização do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir da visão de gerentes de nível intermediário do setor. Foi utilizado o método do estudo de caso qualitativo, por meio da técnica da entrevista com os três gerentes de nível intermediário do Pronto-socorro (PS) do Hospital São Paulo (HSP). O HSP é o Hospital de Ensino da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e é considerado uma Unidade Hospitalar de Referência em Atendimento em Urgência e Emergência Tipo III. A apresentação das narrativas foi sistematizada em seis eixos temáticos: (1) Equipamento de saúde e ensino: implicações para o trabalho em saúde; (2) Na busca de integralidade: a demanda espontânea de saúde; (3) Motivações para a demanda espontânea: aspectos culturais; (4) Motivações para a demanda espontânea: aspectos macroestruturais; (5) O papel normatizado: a demanda referenciada; (6) Superação de obstáculos: propostas de intervenção. A tradição de especialidade médica com ênfase no desenvolvimento científico do Hospital São Paulo influencia a assistência prestada em seu Pronto-socorro. O acesso as enfermarias do HSP e ao complexo ambulatorial da Unifesp tem um recorte acadêmico, sendo selecionados os casos de maior complexidade e "interessantes" do ponto de vista científico. Além disso, o atendimento dos pacientes no PS segue o modelo biomédico flexneriano de ensino e assistência à saúde que privilegia as tecnologias duras e leve-duras e que subestima o campo relacional das tecnologias leves do trabalho em saúde. A concentração de conhecimento, de especialidades e apoio diagnóstico de alta complexidade faz do HSP um grande atrativo para a população, fato que influencia seu Pronto-socorro que opera em regime de porta aberta. A grande demanda espontânea presente no PS do HSP tem explicações culturais e macroestruturais. Em relação à cultura é possível perceber o imediatismo e a crença da população de que o hospital é o principal responsável pela assistência à saúde. Tem expectativas do sistema de saúde em relação a consultas médicas e prescrição de medicamentos e apresenta frágil conhecimento dos princípios do (SUS): hierarquização, regionalização, participação da comunidade, entre outros. Os fatores macroestuturais estão relacionados a dificuldades de acesso à Atenção Básica e a de média complexidade, baixa resolubilidade das Unidades Básicas de Saúde e a falta de integralidade no sistema de saúde. O PS do HSP possui um papel normatizado dentro do SUS da cidade de São Paulo que consiste em atender uma demanda referenciada. Ele integra o Sistema Estadual de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências de São Paulo e recebe pacientes que obtiveram o primeiro atendimento em situação aguda em serviços de saúde hospitalar que não possuem retaguarda diagnóstica, terapêutica e/ou equipe especializada para a continuidade do atendimento de urgência. Os entrevistados apontaram para algumas propostas de intervenções no sentido de melhora do fluxo do PS do HSP a fim de que sejam atendidos apenas pacientes de urgência e emergência e que não acumule pacientes excedentes no Pronto-socorro. Para isso, sugerem mecanismos para diminuição de demanda de pacientes de baixa complexidade (Acolhimento com Classificação de Risco, Assistência Médica Ambulatorial) e para melhorias na regulação de Urgência e Emergência no fortalecimento de sistemas de referência e contra referência. É possível perceber, porém, que as intervenções propostas se limitam ao problema interno do hospital e levam pouco em consideração o resto do sistema de saúde. O contexto atual do Pronto-socorro do Hospital São Paulo traz à tona contradições e conflitos. As tensões existentes se dão tanto no nível micro, no sentido de modelos de atenção à saúde entre as necessidades do ensino e as necessidades dos usuários, como no nível macro de gestão, no sentido da conformação de redes integradas de saúde num complexo universitário que não se reconhece como parte integrante da rede. Este estudo teve o intuito de desvelar os processos presentes no Pronto-socorro do Hospital São Paulo. Ele abre possibilidades de novos estudos a serem realizados no PS do HSP e pode auxiliar a gestão do Hospital, trazendo pistas e subsídios para novas intervenções.
Palavra-chave Hospitais de ensino
Integralidade
Saúde Pública
São Paulo (cidade)
Educação médica
Necessidades e demandas de serviços de saúde
Serviços médicos de emergência
Idioma Português
Data de publicação 2011-05-25
Publicado em FERNANDES, Flávia Saraiva Leão. O Pronto-socorro do Hospital São Paulo: entre o ensino e a assistência. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9865

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12729.pdf
Tamanho: 1.382MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta