O papel dos proteoglicanos na adesão celular durante a tumorigênese: um modelo in vitro para o estudo da interação câncer-estroma

O papel dos proteoglicanos na adesão celular durante a tumorigênese: um modelo in vitro para o estudo da interação câncer-estroma

Título alternativo The Role of proteoglycans on cell adhesion during tumorigenesis: a model to study tumor-stroma interactions in vitro
Autor Vicente, Carolina Meloni Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Toma, Leny Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo During metastasis cells lose their original tissue contacts, move through the extracellular matrix (ECM), enter the lymphatic and/or blood system, extravasate and subsequently form new tumors. Therefore, these tumor cells must experience changes in cell-ECM adhesion. Adhesion receptors play crucial roles in the neoplastic transformation of normal cells through the induction of cancer-specific cellular behavior and morphology. This implies that cancer cells likely express and utilize a distinct set of adhesion receptors during carcinogenesis. Syndecan-2 is a transmembrane heparan sulfate (HS) proteoglycan which has been implicated in the formation of specialized membrane domains and functions as a direct link between the extracellular environment and the organization of the cortical cytoplasm. In several colon-rectal cancer cell lines, syndecan-2 is highly expressed compared to normal cell lines. This increase appears to be critical for cancerous cell behavior since it regulates adhesion and proliferation and therefore the tumorigenic activity. The results of this study showed that in a highly metastatic colon-rectal cancer cell line, HCT-116, both expression and synthesis of syndecan-2 are enhanced when grown on ECM produced by fibroblasts. The expression of the others syndecans decreased, as did HS in the ECM produced by the cancer cells. Among the stromal components of ECM, the fibronectin was shown to be important for the increase of syndecan-2. Co-localization between syndecan-2, integrin ƒÑ5ƒÒ1 and fibronectin, suggests the involvement of these molecules in the adhesion mechanism of HCT-116 cells. Furthermore, blocking syndecan-2 with an antibody resulted in the absence of stress fibers during cell adhesion, indicating its important role in the regulation of actin filaments. Thus, the stromal ECM has a fundamental role in regulating the expression of cell surface proteins and probably signaling to the interior of cancer cells by altering their proliferation and adhesion, and its format.

Durante a metastase, as celulas perdem seu contato tecidual original, movem-se pela matriz extracelular (MEC), invadem o sistema linfatico e/ou sanguineo, extravasam e formam novos tumores. Devido a isso, essas celulas tumorais precisam modificar sua adesao celula-MEC. Receptores de adesao exercem papeis cruciais na transformacao neoplasica de celulas normais atraves da inducao de comportamentos celulares e morfologicos especificos do cancer. Isto implica que celulas tumorais provavelmente expressam e utilizam um conjunto distinto de receptores de adesao celular durante e carcinogenese. Sindecam-2 e um proteoglicano transmembranico de heparam sulfato (HS) que participa da formacao de dominios especializados na membrana plasmatica e funciona diretamente como um vinculo entre o ambiente extracelular e a organizacao do citoplasma cortical. Em diversas linhagens celulares de cancer colorretal, a expressao de sindecam-2 encontra-se aumentada, quando comparada com linhagens normais, e este aumento parece ser critico para o comportamento das celulas cancerosas, uma vez que regula sua adesao e proliferacao, e, portanto, sua atividade tumorigenica. Os resultados obtidos neste trabalho demonstraram que em celulas de carcinoma colorretal altamente metastaticas, pertencentes a linhagem HCT-116, a expressao e a sintese de sindecam-2 sao intensificadas na presenca de MEC produzida por fibroblastos. Os demais sindecans sofrem diminuicao, assim como o HS presente na MEC produzida pelas celulas tumorais. Entre os componentes da MEC estromal, a fibronectina mostrou-se como principal responsavel pelo aumento de sindecam-2. Houve co-localizacao entre sindecam-2, integrina ƒÑ5ƒÒ1 e fibronectina, o que sugere a participacao destas moleculas no mecanismo de adesao em celulas HCT-116. Alem disso, o bloqueio de sindecam-2 resultou na nao formacao de fibras de estresse durante a adesao celular, indicando seu importante papel na regulacao de filamentos de actina. Fica claro, portanto, o papel fundamental da MEC estromal na regulacao da expressao de proteinas de superficie celular e provavelmente na sinalizacao para o interior de celulas cancerosas, modificando sua proliferacao, adesao e seu formato.
Palavra-chave Linhagens celulares de câncer colorretal
Matriz extracelular
Proteoglicanas
Sindecam-2
Interação câncer-estroma
Cell straims of colorectal neoplasms
Extracellular matrix
Proteoglycans
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Fundo de Auxílio aos Docentes e Alunos (FADA)
Data de publicação 2009-05-27
Publicado em VICENTE, Carolina Meloni. O papel dos proteoglicanos na adesão celular durante a tumorigênese: um modelo in vitro para o estudo da interação câncer-estroma. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 86 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9861

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-00363a.pdf
Tamanho: 691.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-00363b.pdf
Tamanho: 1.501MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta