Nefrites familiares e doença renal policística: avaliação de ansiedade, depressão e qualidade de vida

Nefrites familiares e doença renal policística: avaliação de ansiedade, depressão e qualidade de vida

Título alternativo Familial nephritis and polycystic kidney disease: evaluation of anxiety, depression and quality of life
Autor Barros, Bruna Paes de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Mastroianni Kirsztajn, Gianna Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Psychiatric disorders, psychological aspects and quality of life are frequently studied in renal replacement therapy (RRT) patients, but we do not know studies that evaluate anxiety, depression and quality of life in patients with familial chronic kidney disease. To evaluate anxiety, depression, quality of life, clinical and demographic data of patients with familial nephritis (FN) or polycystic kidney disease (PKD). A descriptive study was carried out, involving 90 subjects (52 FN and 38 PKD) evaluated according to their clinical and demographic status. State Trait Anxiety Inventory (STAI), Beck Depression Inventory (BDI) and Short-Form SF-36 Healthy Survey Questionnaire (SF-36) were evaluated for screening anxiety, depression and quality of life, respectively. It was performed a brief interview with the patients. Moderate anxiety was detected in both groups. Depression was found in 34.6% of FN and 60.5% of PKD. Patients of both groups were at risk considering aspects related to quality of life, for 2 unfavorable dimensions: role-emotional and general health perception. Depression was worse in women (p=0.038) with a lower educational level (p=0.017) and PKD group (0.011). Also in PKD, patients with poorer educational level had worse physical functioning (0.001), body pain (p=0.017) and mental healthy than those with higher levels (p=0.058). Married patients had better scores at mental healthy then unmarried (p=0,028). Trait (p=0.011) and state anxiety (p=0.021), depression (p=0.013), physical functioning (p=0.035), vitality (p=0.008) and mental healthy (p=0.003) were worse in women with FN. Non-Caucasian patients had better scores of physical functioning in FN (p=0.001) than Caucasians. xvii We observed that anxiety and depression were correlated to the female gender in FN. Additionally, it was also seen a correlation between poorer educational level and PKD. The SF-36 showed that quality of life is worse in female, Caucasian, unmarried patients with poorer educational level. General health perception and role-emotional were the two dimensions more deficient in both groups. Although the association between some of the evaluated conditions have been statistically significant, it is necessary to realize that anxiety, depression and abnormalities in quality of life should be considered in the whole context of patients life (this was here studied by individual interviews) and that sometimes such abnormalities are linked to other aspects beyond the conscience of the hereditary nature of the disease. xviii

Aspectos psicológicos, transtornos psiquiátricos e Qualidade de Vida são freqüentemente estudados em pacientes que fazem terapia renal substitutiva (TRS), porém, desconhecemos estudos que analisam ansiedade, depressão e Qualidade de Vida em pacientes portadores de doenças renais crônicas familiares. Este trabalho teve como objetivos: descrever a freqüência de traços e estados ansiosos, ocorrência de estados depressivos e Qualidade de Vida, verificando as possíveis relações com os principais achados laboratoriais, clínicos e variáveis sócioeconômicas e culturais de pacientes portadores de nefrites familiares (NF) e doença renal policística (DRP). Noventa pacientes (52 NF e 38 DRP) deste estudo descritivo de casos tiveram seus dados demográficos e clínicos analisados. Os resultados referentes a ansiedade, depressão e Qualidade de Vida foram obtidos através dos instrumentos: Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE), Inventário de Depressão Beck (Beck) e Questionário de Qualidade de Vida Short Form-36 (SF-36). Procedeu-se também a uma breve entrevista com cada paciente. Os resultados mostraram ansiedade moderada, depressão em 34,6% dos pacientes com NF e 60,5% dos pacientes portadores de DRP, sendo que as principais alterações na Qualidade de Vida referiam-se ao estado geral de saúde e aos aspectos emocionais dos pacientes portadores de doenças familiares. Depressão foi pior para as mulheres (p=0,038), pacientes com baixo nível educacional (p=0,017) e portadores da DRP (0,011). xv Pacientes com DRP e baixo nível educacional tiveram piores índices de capacidade funcional (0,001), dor (p=0,017) e saúde mental (p=0,058) que pacientes com melhor escolaridade. Pacientes com DRP e com parceiro tiveram melhores índices de saúde mental que pacientes sem parceiro (p=0,028). Traço (p=0,011) e estado (p=0,021) de ansiedade, depressão (p=0,013), capacidade física (p=0,035), vitalidade (p=0,008) e saúde mental (p=0,003) foram piores em mulheres com NF. Pacientes nãobrancos apresentaram melhores índices de capacidade física (p=0,001) que brancos. Observamos que ansiedade e depressão estão correlacionadas com o sexo feminino das NF e com baixa escolaridade dos pacientes com DRP. As dimensões do SF-36 revelaram que a Qualidade de Vida é pior para as mulheres, pacientes de cor branca, com baixa escolaridade e sem parceiros. Estado geral de saúde e aspectos emocionais foram as duas dimensões de Qualidade de Vida mais comprometidas em ambos os grupos. Embora muitas das associações entre as condições avaliadas tenham sido estatisticamente significantes, é preciso ter em mente que ansiedade, depressão e alterações na Qualidade de Vida devem ser consideradas no contexto integral de inserção do paciente (o que foi feito neste caso através das entrevistas individuais) e que, algumas vezes, tais alterações estão ligadas a quaisquer outros aspectos que não a consciência da natureza hereditária da doença.
Palavra-chave Qualidade de vida
Ansiedade
Depressão
Doença renal policística
Nefrite familiar
Idioma Português
Data de publicação 2008-01-30
Publicado em BARROS, Bruna Paes de. Nefrites familiares e doença renal policística: avaliação de ansiedade, depressão e Qualidade de Vida. 2008. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2008.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 165 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9833

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta