Manometria biliar em pacientes submetidos à colangiopancreatografia retrógrada endoscópica

Manometria biliar em pacientes submetidos à colangiopancreatografia retrógrada endoscópica

Título alternativo Biliary manometry in patientes referred to ERCP
Autor Guimaraes, Ana Paula Rodrigues Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Geocze, Stephan Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The SOM is the standard gold for diagnosis of disfunction of the sphincter of Oddi. The prevalence of this in patients in ERCP and its clinical importance are unknown in Brasil. The objectives were to evaluate the prevalence of the SOD in the patients submitted to the ERCP, to correlate the diagnosis of SOD with the illnesses in the ERCP, the number of attempts of canulation and SOD; to evaluate the tax of success of the SOM and the complications. We carry through a prospective study in patients directed for ERCP in the unit of the Digestive Endoscopy of the Hospital São Paulo - UNIFESP. Anticolinergics or meperidine doesn’t be used. The number of attempts of deep canulation was registered, if 5 canulation easy and > 5 difficult. 110 patients had been enclosed. The biliary SOM was obtained successfully in 71 (64.5%). The age average was of 51, 4 years. The SOD was observed in 18/71 patients (25.3%), 11 women and 7 men. The 71 patients had been located in four groups in agreement result of the ERCP: biliary normal examination (16), litíase (39), biliary neoplasia (9) and estenosis (7). SOD was observed in 5/16 patients with normal examinations, 7/39 with litíase, 3/9 with neoplasia and 3/7 with estenosis, without difference statistics between the evaluated groups (p =0,63). Greater prevalence of SOD was not observed in the patients who had had exam more difficult (p =0,81) or in them that had had complications (p =0,82). A tax of complications was 15,4%. Only 2/71 (2.8%) developed light pancreatite after SOM. High prevalence of DEO in the patients submitted to the CPRE, independent of the ERCP diagnosis was observed. The canulation did not intervene with the diagnosis of the SOD. The SOM revealed a safe method in the patients of the present study.

Introdução: A manometria do esfíncter de Oddi (MEO) é o padrão ouro para diagnóstico de disfunção do esfíncter de Oddi (DEO). A prevalência desta alteração em pacientes encaminhados à colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) e a sua importância clínica são desconhecidas no meio acadêmico brasileiro. Objetivos: Avaliar a prevalência da DEO nos pacientes submetidos à CPRE, correlacionar o diagnóstico de DEO com as doenças diagnosticadas na CPRE e com o número de tentativas de cateterização da via biliar; avaliar a taxa de sucesso na realização da manometria do esfíncter de Oddi (MEO) e as complicações do método. Pacientes e Métodos: Realizamos um estudo prospectivo em pacientes encaminhados para CPRE no Setor de Endoscopia Digestiva da Disciplina de Gastroenterologia Clínica do Hospital São Paulo – UNIFESP. Foram evitadas drogas anticolinérgicas ou meperidina. O número de tentativas de cateterização profunda da via biliar foi registrado e estratificado em 5 (fácil canulação) e > 5 (difícil canulação). Resultados: Foram incluídos 110 pacientes. A MEO biliar foi conseguida com sucesso em 71 (64,5%). A média de idade foi de 51,4 anos, sendo 29 homens. A DEO foi observada em 18/71 pacientes (25,3%), sendo 11 mulheres e sete homens. Os 71 pacientes foram estratificados em quatro grupos conforme resultado da CPRE: exame normal (16), litíase biliar incluindo litíase vesicular e dos ductos biliares (39), neoplasia biliar (9) e estenose inflamatória ou benigna (7). DEO foi observada em 5/16 pacientes com exames normais, 7/39 com litíase, 3/9 com neoplasia e 3/7 com estenose benigna, sem diferença estatística entre os grupos avaliados (p =0,63). Não se observa maior prevalência de DEO nos pacientes que tiveram cateterização da via biliar mais difícil (p =0,81) ou naqueles que tiveram complicações (p =0,82). Observa-se uma taxa de 15,4% de complicações gerais relacionadas com a CPRE e/ou MEO, porém somente 2/71 (2,8%) pacientes desenvolveram pancreatite leve após o procedimento. Conclusões: Observou-se elevada prevalência de DEO nos pacientes submetidos à CPRE, independente do diagnóstico colangiográfico. O número de tentativas para canulação da via biliar não interferiu no diagnóstico da DEO. A MEO mostrou-se um método seguro e possível na maioria dos pacientes do presente estudo.
Palavra-chave Disfunção
Esfíncter de Oddi
Manometria endoscópica
Esfíncter da ampola hepatopancreática
Idioma Português
Data de publicação 2009-08-26
Publicado em GUIMARAES, Ana Paula Rodrigues. Manometria biliar em pacientes submetidos à colangiopancreatografia retrógrada endoscópica. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 68 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9792

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-303.pdf
Tamanho: 1.004MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta