Influência da largura do manguito na aferição da pressão arterial, em mulheres com peso normal e obesas na transição menopausal e pósmenopausa

Influência da largura do manguito na aferição da pressão arterial, em mulheres com peso normal e obesas na transição menopausal e pósmenopausa

Título alternativo Influence of sphygmomanometer cuff size on blood pressure measu-rement of normal and obese perimenopausal or menopausal women
Autor Santos, Maria Cecilia dos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Haidar, Mauro Abi Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (ginecologia) - São Paulo
Resumo Objective: The aim of this study was the measurement of the arterial blood pressure of perimenopausal or menopausal women compared to the body mass index (BMI). We studied two groups of women: normal weight 18-25 Kg/m2 and obese having . 30 Kg/m2 of BMI. Methods: We analyzed 203 women of the Climacteric outpatient clinic. The interviewer obtained the clinical data and measured the arterial pressure using the sphygmomanometer (Missouri, wall model). The measure the blood pressure was realized through the use of sphygmomanometer with different cuff width being specific for the each women biotype and following the Who-Working Group on the use and interpretation of anthropometric indicator of nutrition status. We used the cuff width with 22 x 15cm for normal weight and 70X15cm for obese women. Results: The women presented as media valor: Age = 54.6; height = 1.50 m, weight = 72.3 Kg. The normal weight women had media diastolic blood pressure of 122.9 and the obese group had 144.4 mmHg. The systolic pressure of the normal weight group and obese was respectively 84.6 and 90.4 mmHg. Conclusion: There were no differences on the normal weight group in relation to the blood pressure results. There was a decrease of the blood pressure results on the obese group when we used the sphygmomanometer with adequate cuff in comparison to blood pressure obtained with sphygmomanometer for normal weight.

Objetivo: Analisar as diferenças na aferição da pressão arterial de mulheres na transição-menopausal e na pós-menopausa, levando-se em conta o índice de massa corpórea (IMC), categorizado em normal quando se apresenta entre 18 e 25 Kg/m², e obesa quando maior ou igual a 30Kg/m². Utilizamos, para tanto, esfigmomanômetros com manguitos com duas diferentes medidas, adaptados ao biotipo físico de cada mulher. Métodos: Avaliamos 203 mulheres na transição menopausal e na pós-menopausa. Os dados clínicos foram obtidos por meio de entrevistas, sendo aferidas as pressões arteriais em uma única visita, as quais foram registradas em planilhas. Calcularam-se a média e o desvio-padrão das variáveis epidemiológicas e clínicas, bem como da pressão arterial sistólica e diastólica. Material: Foram utilizados aparelhos da Marca Missouri aneróide, modelo de parede, para as mulheres selecionadas com peso normal e obesas. O aparelho de pressão para as com peso normal apresenta bolsa interna de látex medindo 22 por 15cm e manguito de 54 por 15cm (aparelho de pressão convencional). O aparelho usado para as pacientes obesas apresenta bolsa interna de látex medindo 30 por 15cm e manguito de 70 por 15cm (aparelho de pressão não convencional). Ambos os aparelhos têm desvio de circunferência, sendo convencional com 22 a 28cm e, o não convencional, com 31 a 39cm. Todos foram calibrados pelo INMETRO, conforme norma da ABNT. Resultados: A idade média foi de 54,6 anos; a estatura média foi de 1,5m e o peso médio de 72,3Kg. Dentre os biotipos avaliados e as diversas medidas encontradas, deparamo-nos com pressão arterial sistólica média de 122,9mmHg em mulheres com peso normal e de 141,4mmHg em as mulheres obesas. A média das medidas da pressão arterial diastólica variou de 79,5mmHg a 83,7mmHg para as mulheres com peso normal e de 84,6mmHg a 90,4mmHg para as obesas. Conclusões: 1- Para as mulheres obesas, não houve diferença significante quanto às medidas da pressão arterial sistólica e diastólica em relação ao diâmetro do braço utilizado para a medida (esquerdo ou direito) e a posição (sentada ou deitada). Utilizando o aparelho não convencional, houve diminuição significante da pressão arterial, tanto sistólica quanto diastólica, em comparação às medidas realizadas com o aparelho convencional. 2 - Nas mulheres com peso normal houve diferença significante quanto à posição sentada ou deitada e ao tipo de aparelho utilizado, convencional e não convencional, porém não houve diferença significante quanto ao braço utilizado, direito ou esquerdo.
Palavra-chave Pressão arterial
Pós-menopausa
Transição menopausal
Largura do manguito
Idioma Português
Data de publicação 2008-04-30
Publicado em SANTOS, Maria Cecilia dos. Influência da largura do manguito na aferição da pressão arterial, em mulheres com peso normal e obesas na transição menopausal e pósmenopausa. 2008. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2008.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 57 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9749

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-10758.pdf
Tamanho: 1.690MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta