Impacto de crises convulsivas maternas sobre o cérebro em desenvolvimento: avaliação protéica

Impacto de crises convulsivas maternas sobre o cérebro em desenvolvimento: avaliação protéica

Título alternativo Maternal seizures impact on the developing brain: protein analysis
Autor Cossa, Ana Carolina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Scerni, Debora Amado Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Purpose The aim of this work was to study the convulsive maternal seizures impact on the protein synthesis at the developing brain. Methodology Adult female Wistar rats were submitted to the induced model of epilepsy by pilocarpine and matted during the chronic phase of the model. In the first day after birth (P1), the pups of these rats (experimental group) were injected intraperitonealy with leucine L-[1-14C], as well as the pups of rats without epilepsy for control of this procedure. To verify the expression of the Bax, Bcl-2, GFAP and PARP proteins through the Western Blotting procedure, we studied the brains of experimental and control pups at the 3rd (P3), 7th (P7), 14th (P14) and 21st (P21) postnatal days. Results The experimental pups presented a reduction in the protein synthesis in distinct cerebral regions, such as, CA1, CA2, CA3, hilus, dentate gyrus, amygdala, thalamus, posterior hypothalamus, entorhinal cortex and piriform cortex. The experimental pups at P3 showed a decreased expression of Bax and Bcl-2 proteins. At P7, they showed an increased expression of PARP and GFAP proteins, as well as at P14, where the pups also showed an increase of Bax and Bcl-2 protein expression. At P21, the experimental pups presented an increase on the expression of Bax and PARP proteins and a reduction on Bcl-2 expression. Conclusion We could observe that the hypoxic-ischemic (HI) insults that the pups possibly had suffer during the intrauterine life caused by the maternal seizures, provoked a first response of decreased protein synthesis soon after birth and a late cellular death that had began at P7 and was extended until P21. The astrogliosis observed at P7 and P14 could be an reaction in response to the cellular damage. Therefore the observation of a reduced protein synthesis and the cellular death confirmed the previous results of our group that maternal epileptic seizures are able to promote HI insults at the developing brains of the pups once that, corroborating with literature, these are some of the mechanisms that occur after HI insult.

Objetivo O objetivo desse trabalho foi verificar o impacto das crises convulsivas maternas sobre a expressão de proteínas no cérebro em desenvolvimento. Metodologia Ratas fêmeas Wistar adultas foram submetidas ao modelo de epilepsia induzido por pilocarpina e acasaladas durante a fase crônica do modelo. No 1°. dia de vida pós-natal (P1), filhotes foram injetados por via intraperitoneal, com leucina L-[1-14C] para análise da síntese protéica. Filhotes de ratas sem epilepsia foram utilizados para controle desse procedimento. Para análise da expressão das proteínas Bax, Bcl-2, GFAP e PARP através da técnica de Western Blotting, foram utilizados cérebros de filhotes de ratas experimentais e controles nos 3° (P3), 7° (P7), 14° (P14) e 21° (P21) dias pós-natal. Resultados Os filhotes de ratas que tiveram crises convulsivas apresentaram uma redução na síntese protéica em P1 em distintas regiões cerebrais, tais como, CA1, CA2, CA3, hilo, giro dentado, amígdala, tálamo, hipotálamo posterior, córtex entorrinal e córtex piriforme. Os filhotes do grupo experimental P3 apresentaram diminuição na expressão das proteínas Bax e Bcl-2. Os animais do grupo P7 apresentaram aumento na expressão de GFAP e PARP, assim como os do grupo P14, que também apresentaram aumento de Bax e Bcl-2. Os filhotes do grupo P21 mostraram um aumento em PARP e Bax e uma diminuição em Bcl-2. Conclusão Pudemos observar que em decorrência de prováveis surtos HI durante a vida intrauterina, ocasionados pelas crises convulsivas maternas, houve uma primeira resposta com diminuição de síntese protéica logo após o nascimento, e indícios apontando uma provável ocorrência de morte celular, tendo início em P7 e se prolongando até P21. A astrogliose observada em P7 e P14 pode ser um indicativo da uma resposta reativa ao dano celular. Assim, a observação da redução de síntese protéica e morte neural confirmam dados prévios de nosso grupo de que as crises convulsivas maternas são capazes de provocar surtos HI no cérebro do filhote em desenvolvimento, uma vez que, comprovados na literatura, esses são alguns dos mecanismos desencadeados após injúria HI.
Palavra-chave Síntese Protéica
Epilepsia
Crises Convulsivas Maternas
Desenvolvimento Cerebral
Hipóxia-Isquemia Encefálica
Apoptose
Idioma Português
Data de publicação 2009-07-29
Publicado em COSSA, Ana Carolina. Impacto de crises convulsivas maternas sobre o cérebro em desenvolvimento: Avaliação Protéica. 2009. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 178 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9713

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-184.pdf
Tamanho: 1.922MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta