Imagens de ressonância magnética no estudo de epilepsia induzida por pilocarpina e ácido caíncio: relaxometria e volumetria

Imagens de ressonância magnética no estudo de epilepsia induzida por pilocarpina e ácido caíncio: relaxometria e volumetria

Título alternativo Magnetic resonance imaging studies in the pilocarpine and kainic acid-models of epilepsy in rodents
Autor Polli, Roberson Saraiva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Covolan, Luciene Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Limbic seizures provoked by sistemic administration of pilocarpine and kainic acid are very useful models of temporal lobe epilepsy (TLE) in rats. The Status epilepticus (SE) leads to spontaneous recurrent seizures (SRS) and both, to brain injury. The distribution and severity of structural lesions of these two models are different during the epileptogenic process and after SRS. Many animal studies have used MRI quantitative measurements as relaxometry and volumetry, in epilepsy. The aim of thie current study is to compare the temporal evolution of hippocampal damaged areas in the pilocarpine and kainic acid models of epilepsy using relaxometry and volumetry. Here was analyzed the correlations among MRI quantitative measurements, histopatogical data and SRS frequency. Our results showed non-progressive reduction of hipocampal volume and elevation of T2 values in the experimental, pilocarpine and kainic acid groups compared to control group. The reduction in the volume of rostral hipocamppus is correlated to cell loss in the dentate gyrus and CA3 areas. The increase in T2 values and seizure frequency are correlated to cell damage in CA3 area. According to analyzed parameters, the pilocarpine and kainic acid models are very similar, except for SRS frequency, which is higher in the pilocarpine model. The hipocampal volumetry result favors a rostro-caudal, but not tridimentional shrinkage of the hippocampus of epileptic rats. The volumetry and relaxometry can be useful to quantify the tissue damage in the epileptic brain.

A epilepsia do lobo temporal (ELT) em roedores pode ser mimetizada através de crises límbicas provocadas pela administração sistêmica de pilocarpina ou ácido caínico. Nos dois modelos, o Status epilepticus (SE) leva a crises espontâneas e recorrentes (CER) e ambos, a lesões cerebrais. A distribuição e gravidade das lesões estruturais entre os modelos são diferentes durante o processo de epileptogênese e após as CER. Diversos estudos têm utilizado medidas quantitativas de imagens por ressonância magnética (IRM), como a relaxometria e a volumetria em modelos animais de epilepsia. A proposta deste estudo é comparar a evolução temporal da lesão cerebral utilizando os modelos de pilocarpina e ácido caínico em ratos através da relaxometria e volumetria. São analisadas as correlações das medidas quantitativas de IRM com os achados histopatológicos e a freqüência das CER. Os resultados mostram redução do volume hipocampal e aumento dos valores de T2 nos grupos experimentais (pilocarpina e ácido caínico) quando comparados ao grupo controle, porém a redução do volume e aumento do T2 não foram progressivos. A redução do volume do hipocampo rostral está correlacionada à perda celular no giro denteado e CA3. O aumento de T2 e a freqüência de crises estão correlacionados apenas ao dano na subregião do CA3. De acordo com os resultados, os modelos de pilocarpina e ácido caínico, no período estudado, são muito similares, com exceção da freqüência das CER, superior no modelo de pilocarpina. Os resultados da volumetria hipocampal indicam um encolhimento rostro-caudal e não global. Desta forma, a relaxometria e volumetria podem ser utilizadas para quantificar o dano no cérebro epiléptico nestes modelos experimentais.
Palavra-chave Epilepsia
Hipocampo
Pilocarpina
Ácido caínico
Ressonância magnética
Espectroscopia de ressonância magnética
Idioma Português
Data de publicação 2010-10-27
Publicado em POLLI, Roberson Saraiva. Imagens de ressonância magnética no estudo de epilepsia induzida por pilocarpina e ácido caíncio: relaxometria e volumetria. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9705

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-002a.pdf
Tamanho: 1.549MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-002b.pdf
Tamanho: 830.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-002c.pdf
Tamanho: 1.398MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta