Audição e voz: a interface no envelhecimento

Audição e voz: a interface no envelhecimento

Título alternativo Hearing and voice: its interface in ageing
Autor Baraldi, Giovana dos Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Borges, Alda Christina Lopes de Carvalho Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Introduction: According to data from the Brazilian Institute of Geography and Statistics, the life expectancy estimated at birth in Brazil, for both sex, increased to 71,3 years. The life expectancy increase reflects in special attention necessities to the elderly population, and it falls to the Speech-Language and Hearing Science the parcel that concerns to the communication disorders. The hearing loss, among others, is one of the disorders referred to this age group. It is known that the auditory feedback system is primordial on human vocalizing, organizing the vocal production. Objective: To assess and correlate the hearing and vocal production of elderly who have neurossensorial hearing loss with different degrees and audiometric configurations. Method: Participated in this study 40 subjects from whom 10 were male and 30 were female, whose ages varied from 60 to 93 years old, mean age of 75,95 (SD = 7,41), and who were sent from the Gerontology and Geriatrics Institute of the Federal University of São Paulo. The inclusion criteria considered the ones with symmetric neurossensorial hearing loss, descending configuration and a type A tympanogram. The subjects were submitted to an anamnesis, an auditory assessment (Pure Tone Audiometry, Word Recognition Score and Tympanometry) and vocal assessment. The audiometry were classified into degrees for low frequencies (500Hz, 1 e 2 KHz) and high frequencies (2, 3 e 4 KHz) based on Silman and Silverman (1997). The acoustic analysis of the vocal parameters was done through the CSL Program, from Kay Elemetrics Corporation, 1993/1994 version, MVDP module. Results: In the higher hearing loss degrees, an increase of the fundamental frequency. The maximum phonatory extension, in semitones, and maximum phonation time decreased in hearing losses with higher degrees, while the mean speech loudness increased. Conclusion: In an elderly individual with hearing loss, in whom it is expected an altered auditory-vocal monitoring, the higher hearing loss degree, the greater modifications observed on vocal parameters.

Introdução: De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a esperança de vida estimada ao nascer no Brasil, para ambos os sexos, subiu para 71,3 anos. O aumento da expectativa de vida reflete em necessidades especiais de atenção à população idosa, cabendo à fonoaudiologia a parcela de cuidado aos distúrbios da comunicação. A deficiência auditiva, dentre outros, é um dos distúrbios referidos para esta faixa etária. Sabe-se que o sistema de feedback auditivo é primordial na vocalização humana, organizando a produção vocal. Objetivo: Avaliar e correlacionar a audição e a produção vocal de indivíduos idosos, portadores de perda auditiva neurossensorial de diferentes graus e configurações audiométricas. Método: participaram deste trabalho 40 sujeitos, sendo 10 do sexo masculino e 30 do sexo feminino, com idades de 60 a 93 anos, média de 75,95 (DP = 7,41) encaminhados pelo Instituto de Geriatria e Gerontologia da Universidade Federal de São Paulo. O critério de inclusão considerou portadores de perda auditiva neurossensorial simétrica de configuração descendente e curva timpanométrica do tipo A. Os sujeitos foram submetidos à anamnese, avaliação auditiva (audiometria tonal limiar, IPRF e imitanciometria) e avaliação vocal. As audiometrias foram classificadas em graus para as freqüências baixas (500Hz, 1 e 2 KHz) e para as freqüências altas (2, 3 e 4 KHz) de acordo com Silman e Silverman (1997). A análise acústica dos parâmetros vocais foi feita através do programa CSL da Kay Elemetrics Corporation versão 1993/1994, módulo MVDP. Resultados: Em graus de perda auditiva mais elevados, ocorreu aumento da freqüência fundamental. A extensão fonatória máxima, em semitons, e o tempo máximo de fonação diminuíram em graus mais elevados de perda auditiva, enquanto que a média da intensidade de fala aumentou. Conclusão: No indivíduo idoso com deficiência auditiva, no qual se espera um monitoramento auditivo-vocal alterado, observou-se que quanto mais elevado o grau da perda auditiva, maiores as modificações observadas nos parâmetros vocais.
Palavra-chave Audição
Qualidade da voz
Idoso
Presbiacusia
Idioma Português
Data de publicação 2009-12-31
Publicado em BARALDI, Giovana dos Santos. Audição e voz: a interface no envelhecimento. 2009. 81 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9686

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-0122.pdf
Tamanho: 889.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta