Hábitos auditivos e avaliação audiológica em adultos

Hábitos auditivos e avaliação audiológica em adultos

Título alternativo Hearing habits and audiological evaluation in adults
Autor Hanazumi, Aline Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Iorio, Maria Cecilia Martinelli Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Music is a form of art which has been enjoyed by many people since Antiquity. Technological progress has enabled us to hear our favorite songs wherever, whenever and at whatever level we want through portable personal stereos for long periods of time. The aims of this study were to characterize the hearing habits of personal stereo users, without hearing complaints and to correlate the hearing habits and the audiological findings of these adults. Methods: 85 adults (54 females and 31 males), ages between 18 and 34 years, without occupational noise exposure, and personal stereo users participated in this study. They answered a questionnaire about hearing habits and had their hearing evaluations performed at the Federal University of São Paulo. The procedures included: Pure Tone Audiometry; High-frequency Audiometry; Immitance measures; Transient Evoked Otoacoustic Emissions (TEOAE) and Distortion Product Otoacoustic Emissions (DPOAE). Results: Study participants are exposed for more than two hours daily to music presented through headphones for more than four years, usually by transport. The trouble understanding the speaker in a noisy environment increases proportionally to the increase of environment noise and twenty-one subjects reported having tinnitus. The majority is worried about hearing health and believes that bad habits can damage their hearing. There was a 6 kHz notch in the delineation of audiometric configuration from the average hearing thresholds which is characteristic of Noise Induced Hearing Loss (NIHL). Most individuals who claimed to have tinnitus use headphones for over 5.1 years. There was a higher percentage of individuals who use headphones in the ear canal and the thresholds of 12 kHz above 25 dB. Conclusions: The results of this study showed that, although individuals did not show hearing complaints, issues related to noise exposure were observed, such as tinnitus and stress, reflecting the difficulty in understanding speech in noisy environments. Campaigns to prevent hearing damage that focus psychological and social consequences it can cause had an important role in increasing public awareness, especially in younger population

Música é uma forma de arte que é apreciada pelas pessoas desde a Antiguidade. O avanço tecnológico permitiu que a música pudesse ser ouvida em qualquer local, por longos períodos e no volume desejado. Os objetivos deste estudo foram caracterizar os hábitos auditivos e relacioná-los aos achados audiológicos de adultos sem queixas auditivas, usuários de estéreos pessoais. Métodos: Foram avaliados 85 indivíduos, com idades entre 18 e 34 anos, com audição normal, sem exposição a ruído ocupacional. Foi solicitado para que eles respondessem a um questionário de hábitos auditivos, disponibilizado na Internet e convocados para a avaliação audiológica: Audiometria Altas Freqüências, Emissões Otoacústicas Evocadas por Estímulo Transiente (EOAT) e Emissões Otoacústicas Evocadas por Produto de Distorção (EOAPD). A mensuração do nível de pressão sonora do estéreo pessoal, no silêncio e no ruído também foi realizada. Resultados: Os participantes do estudo ficam expostos há mais de duas horas diárias à música apresentada por meio de fones de ouvidos, por mais de quatro anos, normalmente em meios de transporte. A dificuldade para entender o interlocutor em ambiente ruidoso aumenta proporcionalmente ao ruído ambiental e vinte e um indivíduos referiram ter zumbido. A maioria se preocupa com a saúde auditiva e acredita que os maus hábitos podem causar danos à audição. Observou-se um entalhe em 6 kHz no delineamento da configuração audiométrica a partir das médias dos limiares auditivos de via aérea, característico de PAIR. A maioria dos indivíduos que afirmaram ter zumbido utilizam fones de ouvido há mais de 5,1 anos. Houve uma maior porcentagem de indivíduos que usam fones de ouvido dentro do meato acústico e que apresentaram limiares de 12 kHz acima de 25 dB. Conclusões: Os resultados do presente estudo mostraram que, embora os indivíduos não apresentassem queixas auditivas, aspectos relacionados à exposição ao ruído foram evidenciados, tais como zumbido e estresse, bem como a queixa de maior dificuldade de inteligibilidade de fala à medida que o ruído ambiental era maior. A abordagem de campanhas de prevenção a danos auditivos, a partir de conseqüências psicológicas e sociais pode ser uma medida importante para a conscientização da população, principalmente dos mais jovens, cada vez mais atualizados e “equipados” com as novas tecnologias, além de mais precoces com relação a hábitos auditivos como ir a concertos, shows e baladas.
Palavra-chave Cuidados preventivos
Fones de ouvido
Música
Perda auditiva
Audiologia
Idioma Português
Data de publicação 2011-02-22
Publicado em HANAZUMI, Aline. Hábitos Auditivos e Avaliação Audiológica em Adultos. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 103 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9683

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-053.pdf
Tamanho: 1.250MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta